Todos os post de clipping

Novo programa pretende conter evasão e levar 1,6 milhão de jovens de volta às salas de aula

Mercadante, ao lado da ministra Tereza Campello e do ministro José Agenor Álvares, destacou a importância do novo programa: “Vamos buscar a reinserção do estudante na escola com um programa de acolhimento, permanência e êxito” (foto: Mariana Leal/MEC)

Lançado nesta sexta-feira, 6, o Programa de Acolhimento, Permanência e Êxito (Pape): de Volta para Escola, uma parceria dos ministérios da Educação, da Saúde e do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, tem como objetivo levar até 1,6 milhão de crianças e jovens de 4 a 17 anos de idade de volta às salas de aula. O Pape envolverá educação, saúde e assistência social para reduzir a evasão escolar e ampliar as possibilidades de conclusão da educação básica.

Continue lendo Novo programa pretende conter evasão e levar 1,6 milhão de jovens de volta às salas de aula

Sobral lidera lista das 500 melhores cidades dom País em Educação

foto veveu arruda com crianças
Quando o assunto é Educação, algumas cidades brasileiras ganham destaque por seu desempenho bem acima da média nacional em oportunidades na área. No entanto, elas são exceção no contexto brasileiro, segundo dados do Índice de Oportunidades da Educação Brasileira (IOEB), elaborado pelo Centro de Liderança Pública (CLP).

Continue lendo Sobral lidera lista das 500 melhores cidades dom País em Educação

1,3 milhão de jovens de 15 a 17 anos abandonam escola em 10 anos

Estudo traça perfil dos jovens que não concluíram os estudos. Entre mulheres, 35% já eram mães. Entre homens, maioria trabalhava

IANA SOARES – Pesquisa aponta que há grupos de maior risco de evasão: jovens de baixa renda, em sua maioria negros
A porcentagem de jovens que concluem o ensino médio na idade certa – até os 17 anos – aumentou em 10 anos, passando de 5%, em 2004, para 19%, em 2014. Os dados estão em um estudo do Instituto Unibanco, feito com base nos últimos dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Há, no entanto, 1,3 milhão de jovens entre 15 e 17 anos que deixaram a escola sem concluir os estudos, dos quais 52% não concluíram sequer o ensino fundamental.

Continue lendo 1,3 milhão de jovens de 15 a 17 anos abandonam escola em 10 anos

Abordagem da diversidade de gêneros na escola divide opiniões

Iêva Tatiana – Hoje em Dia

A proposta do Ministério da Educação (MEC) de tratar as questões de gênero nas escolas públicas, inclusive na educação infantil, tem provocado calorosos e incessantes debates. No ano passado, a polêmica ganhou força com a apresentação dos planos regionais, que vão nortear o ensino no país pelos próximos dez anos.

Continue lendo Abordagem da diversidade de gêneros na escola divide opiniões

Análise: Quem ainda precisa de escrita cursiva?

Stephen J. Dubner e Steven D. Levitt
A escrita cursiva está em declínio incontestável. Cada vez menos pessoas entre nós, jovens e velhos, fazem uso de caneta e papel. (…)
O ensino de escrita cursiva está desaparecendo rapidamente das escolas primárias americanas. (…)
Uma mudança dessas tem consequências sérias; afinal, a forma como nos comunicamos afeta quase todas as partes de nossa cultura. Logo, será que estamos perdendo algo essencial à medida que a escrita cursiva desaparece lentamente?
A resposta breve é sim –e uma das perdas pode ser nossa capacidade de processar nova informação de forma eficaz.

Fonte: Uol

Especialistas dizem que é necessário entender os diretos para enfrentar bullying

Yara Aquino – Repórter da Agência Brasil

Apelidos pejorativos, constrangimento público e ataques físicos são alguns dos problemas enfrentados por quem é vítima de bullying. Na busca para reduzir o problema, entrou em vigor este mês a lei que institui o programa de combate ao bullying e prevê que escolas, clubes e agremiações recreativas desenvolvam medidas de conscientização, prevenção e combate a esse tipo de intimidação. A Agência Brasil ouviu especialistas que avaliaram as medidas propostas pela lei e falaram sobre o combate ao bullying.

Continue lendo Especialistas dizem que é necessário entender os diretos para enfrentar bullying

Escola do interior do Ceará adota respeito à diversidade como disciplina em sala de aula

A Escola Estadual Júlia Catunda, em Santa Quitéria, foi credenciada pelo MEC como instituição que promoveu criatividade na grade curricular

Escola Estadual Júlia Catunda, em Santa Quitéria (FOTO: Divulgação)
Escola Estadual Júlia Catunda, em Santa Quitéria (FOTO: Divulgação)

De acordo com a Constituição Federal Brasileira, a educação é um direito de todos. É nessa perspectiva que há dois anos aEscola Estadual Júlia Catunda, em Santa Quitéria, a 220 km de Fortaleza, inseriu em sua grade curricular o respeito à diversidade como disciplina fundamental para os alunos do ensino médio da instituição. Continue lendo Escola do interior do Ceará adota respeito à diversidade como disciplina em sala de aula

Prefeitos querem burlar direito dos professores, afirma presidente do sindicato Apeoc

Foto: Fernando Ribeiro.

Durante entrevista ao programa “Ceará News”  desta terça-feira (2), o presidente do Sindicato dos Professores do Estado do Ceará (Apeoc), Anízio Melo, afirmou que  prefeitos cearenses querem burlar o direito dos dinheiro dos professores municipais de receberem verba do Fundef, hoje Fundeb. Continue lendo Prefeitos querem burlar direito dos professores, afirma presidente do sindicato Apeoc

Professores acionam Ministério Público para convocação de aprovados

Agenda de lutas inicia nesta terça-feira, 2, com representação no Ministério Público Estadual. Greve nacional ocorrerá em março

O Sindicato dos Professores e Servidores da Educação e Cultura do Estado e Municípios do Ceará (Apeoc) está acionando o Ministério Público Estadual (MP-CE) para a convocação de 341 profissionais aprovados em concurso público. O último certame da Secretaria da Educação do Estado (Seduc) foi realizado em 2013, com mais de 4 mil convocados, entre classificados e classificáveis.
Os candidatos que ainda não foram chamados pediram reclassificação para concluir a formação acadêmica. A categoria teme que a convocação não aconteça a tempo, já que o prazo do concurso termina no próximo mês de abril.
De acordo com a Apeoc, das 22 mil jornadas de trabalho de 200 horas, cerca de nove mil têm sido ocupada por professores temporários. O número representa cerca de 41% de docentes da rede estadual.
Segundo o parecer 9/2009 do Conselho Nacional de Educação, os Estados e as Prefeituras só podem contratar 10% do total de professores temporários. Seguindo a determinação, a Apeoc pleteia um novo concurso público após a convocação.
A Seduc declarou que ainda está analisando o caso dos 341 candidatos que pediram a reclassificação. Por meio de nota, a secretaria afirmou que todos os professores classificados e classificáveis em 2013 foram convocados e que os contratos por tempo determinado de 2015 já foram encerrados.
Paralisações 
A categoria começa uma agenda de mobilizações nesta terça-feira, 2, com a representação na sede do MP-CE. A partir da próxima quinta-feira, 4, 12 assembleias serão realizadas em todas as regiões do Estado.
Além da convocação, estarão em pauta a campanha salarial de 2016 com reajuste de 12,67% e a greve nacional da categoria que ocorrerá nos dias 15, 16 e 17 de março.
Agenda:
2/02 – às 9h, na sede do Ministério Público Estadual ( rua Assunção, 1100, no bairro José Bonifácio)
4/02 – Vale do Curu (Itapipoca) / Sertão Central (Quixadá)
12/02 – Centro Sul (Iguatu) / Cariri Oriental (Brejo Santo) / Cariri (Juazeiro do Norte)
17/02 – Ibiapaba (Tianguá) / Camocim (Camocim) / Região Norte (Sobral)
19/02 – Inhamuns (Crateús) / Vale do Jaguaribe (Russas) / Maciço de Baturité (Baturité)
24/02 – Fortaleza e Região Metropolitana
 
Redação O POVO Online

Prefeitura tem 10 dias para provar gastos com Educação no passado

Expectativa de Prefeitura e professores é que o impasse seja solucionado na base do diálogo

A polêmica em torno do destino da verba extra oriunda do antigo Fundef – R$ 289 milhões -teve novo capítulo ontem. A promotoria do Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE) deu um prazo de até dez dias para que a Prefeitura de Fortaleza comprove investimentos feitos na educação da Capital no passado. A comprovação é necessária para respaldar o argumento de representantes do município que afirmam que o dinheiro recebido em dezembro do ano passado, após decisão judicial, trata-se de verba compensatória pelos gastos que a Prefeitura teria complementado em anos anteriores. Continue lendo Prefeitura tem 10 dias para provar gastos com Educação no passado