Greve de professores pelo País completa dois meses

As universidades federais devem decidir esta semana se continuam com a greve. A paralisação completou ontem dois meses e afeta 57 das 59 universidades que aderiram a greve, além de 34 dos 38 institutos. O Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (Andes) divulgou comunicado em que reprova a proposta do Governo de reajuste para os professores de universidades e institutos federais. A Universidade Federal do Piauí (UFPI) e a Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), além da UFC, já fizeram assembleia e decidiram não aceitar a proposta do governo e manter a greve.

Grande parte das assembleias estão marcadas para hoje e quinta-feira. Os resultados das assembleias deverão ser repassados para a Andes, que voltará a se reunir com representantes do Governo Federal na semana que vem.

A proposta do governo prevê reajuste salarial entre 12% e 40% aos docentes em três anos. Somado a aumento já concedido em março, o reajuste máximo chega a 45%. O sindicato, porém, afirma que os cálculos do governo foram feitos sobre um valor já defasado e que desconsidera a inflação do período.

O Povo