Heitor e Alexandre são os candidatos a prefeito e vice

O anúncio da aliança foi feito na presença de dirigentes dos dois partidos, e a convenção deles será no dia 24

“Não somos oposição a pessoas, somos oposição a um modelo que redundou em ineficiência administrativa. Fortaleza precisa de um novo modelo, com metas estabelecidas a serem cumpridas em tempo certo”, disse ontem o deputado Heitor Férrer (PDT) ao lado do seu pré-candidato a vice-prefeito, Alexandre Pereira (PPS).

Deputado Heitor Férrer fala, no evento de ontem, entre o presidente do seu partido, deputado federal André Figueiredo e o empresário Alexandre Pereira, presidente do PPS e candidato a vice-prefeito na chapa de Heitor FOTO: VIVIANE PINHEIRO

É a primeira chapa definida para a eleição municipal. Alexandre Pereira é empresário, presidente estadual do Partido Popular Socialista e disputou vaga no Senado em 2010. A parceria com Férrer foi fechada no fim de semana e apresentada oficialmente à imprensa ontem de manhã, no comitê de imprensa da Assembleia Legislativa. “Estamos muito bem acompanhados. O PPS tem história e veio para somar”, afirmou Heitor.

Segundo ele, a campanha dos dois vai priorizar a defesa da escola pública de qualidade e tempo integral, bandeira tradicional do trabalhismo de Leonel Brizola, fundador do PDT, do atendimento em três turnos nos postos de saúde, da transparência administrativa, da moradia popular e do enfrentamento ao problema da mobilidade urbana. “Buscaremos os melhores técnicos de todo o país”, prometeu o deputado pedetista.

O PPS, segundo Alexandre, vinha conversando há meses com o PDT e outros partidos como o PSDB de Marcos Cals, o PC do B de Inácio Arruda e o DEM de Moroni Torgan. O empresário defendia a união da oposição a Luizianne Lins (PT) numa candidatura única, mas não convenceu seus pares, e então o PPS se decidiu por Heitor. “Dos candidatos fortes, o Heitor é o mais preparado para gerenciar Fortaleza”, disse Alexandre ao Diário do Nordeste. “É um candidato com potencial eleitoral considerável, traz a bandeira da ética. E eu tenho experiência como administrador de empresas. Posso ajudar no plano de governo e na gestão. Nossos nomes acabam sendo complementares”.

Projetos

Alexandre pede agora a aplicação de sua tese num eventual segundo turno, citando inclusive o presidente da Assembleia, Roberto Cláudio, alternativa do PSB do governador Cid Gomes, no caso de candidatura própria. “Já deixo o convite ao Marcos, ao Inácio, ao Moroni e até ao Roberto Cláudio, se ele for o candidato do PSB: queremos que eles estejam com a gente no segundo turno”.

Para Alexandre, não há contradição em desejar o apoio de Cid e ao mesmo tempo repudiar a gestão de Luizianne, reeleita com a ajuda do governador. “Nossa candidatura não tem poste. São dois homens independentes. Mas no segundo turno queremos o maior número possível de aliados. PPS e PDT são muito pequenos para administrar Fortaleza sozinhos”.

Ademais, na visão de Alexandre, prevalece nessas diferentes pré-candidaturas o objetivo de confrontar a gestão petista. “Os projetos são muito parecidos. Todos os partidos de oposição não concordam com o modelo de gestão do PT, uma forma de fazer política fisiológica, que escolhe as pessoas com base em valores ideológicos, quando deveria ser com base em valores técnicos”.

Conversa

Criticando a administração Luizianne, o deputado federal André Figueiredo, presidente estadual do PDT, declara que “a única coisa que essa Prefeitura faz bem feito é festa. Fortaleza piora a cada ano que passa por conta da inoperância da gestão. O trânsito está caótico, a Saúde chega a ser pior que a de Salitre, que é um dos três municípios mais pobres do Estado, e a Educação é a segunda pior dos 184 municípios” cearenses.

Figueiredo informa que o PDT segue dialogando com outras legendas em busca de apoio, incluindo o PR do ex-governador Lúcio Alcântara. “Se o PR ou qualquer outro partido que queira o bem de Fortaleza quiser se somar a nós, serão muito bem-vindos. Já conversei com o governador Cid, com Lúcio, com Marcos Cals. Independentemente de estarmos juntos ou não no primeiro turno, é claro que num eventual segundo turno queremos uma composição de forças que nos garanta a vitória, dentro dessa perspectiva de reconstruir Fortaleza”.

O evento de ontem, para marcar a coligação fechada entre os dirigentes do PDT e do PPS, contou com a participação de quase todos os dirigentes das duas agremiações, além dos deputados estaduais do PDT (Patrícia Saboia, Delegado Cavalcante e Ferreira Aragão), bem como de representantes na Câmara Municipal.

Tempo de TV

Sozinho, o PDT dispõe de um minuto e 26 segundos de propaganda eleitoral de rádio e televisão. Com a chegada do PPS, são mais 50 segundos. “Mas, independentemente de tempo, já temos estratégias para superar essa adversidade: as redes sociais, a força da militância, o sentimento de uma cidade que sabe que urge uma mudança de rumos”, disse Figueiredo.

A convenção conjunta do PDT e do PPS para homologar a chapa Heitor-Alexandre acontecerá em 24 de junho, no Clube Náutico. Até lá os pedetistas aguardarão uma posição do PR. Segundo dirigentes dos dois partidos, ainda não foi decidido se PDT e PPS também farão a coligação em termos proporcionais, para a eleição de vereadores.

Fonte: Diário do Nordeste