Cristovam Buarque pede solução para greve dos professores

Senador diz que greve de professores não pode ser comparada à de operários

Agência Senado

Em discurso nesta segunda-feira, 9, o senador Cristovam Buarque (PDT-DF) fez um apelo pelo fim da greve dos professores das universidades federais. Ele chegou a pedir ao senador Waldemir Moka (PMDB-MS), que presidia a sessão, que informasse ao governo que já “entramos no século 21”.

Para Cristovam Buarque, a atividade dos professores não pode ser comparada à de um operário da construção civil, pois a cabeça de um aluno “não é uma parede esperando um tijolo”. O trabalho de construção pode ser recuperado, mas a atividade do conhecimento fica comprometida, explicou.

“Creio que o governo ainda não percebeu isso. Porque não se justifica uma greve de professores durar 60 dias. Aliás, nem a greve se justifica no século 21”, disse o senador.

Apesar de criticar o governo, o senador disse que os professores também não entenderam que o mundo já vive o século 21. Segundo o senador, os professores não perceberam o prejuízo que causam ao país, com uma greve tão demorada.

Buarque pediu ainda que as universidades equilibrem a atenção dada aos cursos da área de humanas e aos da área científica e ressaltou que as reivindicações dos professores são justas. “Quando a universidade para, o país também para na produção do conhecimento. Que haja mais recursos, mas que haja transformação.”