PNE: a luta por uma educação digna

A Central Única dos Trabalhadores (CUT) do Ceará comemora a aprovação do Plano Nacional de Educação (PNE) na Câmara Federal. O plano amplia os recursos destinados à educação dos atuais 5% do Produto Interno Bruto (PIB) do País para 7%. A meta é atingir 10% até o fim da vigência do PNE, que será de 10 anos após a sanção presidencial.

O movimento sindical considera o PNE uma conquista, resultado da mobilização da CUT, das entidades filiadas e parceiras durante o processo de tramitação do projeto no Congresso Nacional. A posição firme dos movimentos sociais impediu a aceitação da proposta apresentada pelo governo, que previa o repasse de 8% para a educação ao longo de uma década. O percentual foi considerado insuficiente para concretizar as 10 diretrizes e as 20 metas para o desenvolvimento do Sistema Educacional Brasileiro definidas no PNE. Dentre os objetivos do Plano, estão a erradicação do analfabetismo e a oferta de ensino em tempo integral em escolas públicas.

É inquestionável que a educação brasileira necessita sofrer mudanças para garantir aos trabalhadores e seus filhos um ensino de qualidade que proporcione o crescimento profissional. Através da educação, o indivíduo conquista o poder de transformar a realidade social e construir a consciência política para lutar pelos seus direitos. Assim, a aprovação do Plano é um pequeno passo diante da dívida histórica com a população, já que o acesso à educação pública e de qualidade tem sido negligenciado.

Precisamos continuar lutando pela efetiva valorização dos professores e da carreira que sofrem com o desrespeito à Lei do Piso Salarial nos municípios. Acreditamos que a qualidade do ensino está atrelada à dignidade do educador.

Enquanto entidade representativa dos trabalhadores e trabalhadoras, defendemos as condições dignas de trabalho e a remuneração justa. Permaneceremos em constante vigilância e na defesa dos direitos trabalhistas, essenciais para qualidade de vida do cidadão.

Joana Almeida

imprensa@cutceara.org.br

Presidente da Central Única dos Trabalhadores no Ceará

O Povo