Veja como aproveitar aulas e estudo em casa na preparação para o Enem

A menos de dois meses para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), professores recomendam que os estudantes intensifiquem o foco na prova do Ministério da Educação, que neste ano será realizada nos dias 26 e 27 de outubro e é obrigatória para quem quer uma vaga na grande maioria das universidades federais, além de instituições estaduais e particulares. Para garantir o melhor aproveitamento das horas passadas na escola e em casa, professores de colégios de São Paulo contaram ao G1 algumas das dicas que dão aos seus próprios alunos.

Na sala de aula
A ajuda profissional é um dos principais trunfos dos estudantes que atualmente estão no colégio ou fazendo um curso pré-vestibular, na opinião da professora Vera Lúcia da Costa Antunes, que dá aulas de geografia no Colégio Objetivo. “Tudo o que tiver dúvida o estudante deve perguntar, ele não deve ficar com dúvida, é a pior coisa para a pessoa. Não tenha vergonha, os professores estão aí exatamente para ajudar”, aconselhou ela.

Mas, para ter dúvidas, antes é preciso se dedicar aos estudos e exercícios, alertam os docentes. “Fazer simulados, estudar exames antigos do Enem, é o que parece ser mais positivo”, afirma o coordenador pedagógico do Colégio Etapa, Edmilson Motta.

Segundo ele, essa tática ajuda o estudante a perceber quais são os temas que mais se repetiram no decorrer dos anos, mas também notar como, a cada ano, novos temas começaram a aparecer, à medida que o Enem foi se aproximando dos vestibulares tradicionais. “Se pegar a prova do Enem o aluno vai perceber que alguns conteúdos são privilegiados. Então, fazer simulados ajuda a perceber quais são os conteúdos privilegiados, para procurar estudar esses temas que têm aparecido. Mas ele tem que procurar ampliar a gama de conteúdo estudado, não ficar só no que já caiu.”

Uma rotina que Vera Lúcia sugere para aproveitar melhor a realização dos simulados é fazer as provas em casa, listar as questões erradas e levá-las ao professor, para descobrir a razão por trás do erro.

Além de levar dúvidas de casa para o colégio, Vera lembra que, nos casos dos candidatos que ainda não terminaram o ensino médio, os professores ainda estão ensinado conteúdos inéditos. Por isso, o momento é de concentração total nas aulas. “Dificilmente o aluno viu toda a matéria já. Se sobrar tempo, ele pode voltar e fazer revisão de alguns itens, mas em geral o melhor é treinar com simulado, para ver onde está tendo dificuldade.”

Estudando em casa
Os simulados são a forma mais eficaz de preparar o estudante para a maratona de provas do Enem. Além da prática física de lidar com duas provas de diversas horas, em dias consecutivos, com um total de 180 questões e uma redação, os candidatos devem se familiarizar com outro hábito exigido no Enem: a leitura rápida, mas compreensiva, de textos longos nos enunciados.

“É preciso treinar esse conteúdo, fixar pelo menos em parte [o conteúdo] com questões que tenham essa pegada do Enem, que vão exigir leitura mais atenta. Aproveitar o texto da questão para encontrar o elemento da resposta. Às vezes a pergunta nem é tão complexa, mas a leitura vai ser decisiva”, explica Edmilson Motta, do Etapa.

Nos horários livres, cada aluno deve controlar a própria agenda de estudos e descanso. Por isso, algumas técnicas de organização são importantes, alerta Maurício Rodrigues, professor de química do Colégio Santa Maria, na Zona Sul da capital paulista.

Entre as dicas, ele ressalta a necessidade de um quadro que organize a grade horária. “É meio clássico isso, ter um horário, dizer ‘de tal hora a tal hora vou estudar história’, por exemplo, e fazer uma grade de estudo focando as habilidades mais exigidas.”

Na hora de priorizar as matérias, Rodrigues lembra que é preciso se dedicar às disciplinas nas quais o estudante tem mais dificuldade, mas sem descuidar das demais, que podem garantir um maior número de pontos na prova. Um bom desempenho em todas as áreas, segundo ele, é “fundamental”.

Não existe um número de horas mínimo ou máximo para se dedicar à preparação para o Enem, mas o professor Edmilson ressalta que a disciplina é importante para aproveitar o tempo separado para os estudos. “Tem que ter uma vida regrada, tem que ter disponibilidade grande para o estudo, precisa ter tempo para estudar. Tem gente muito organizada que consegue aliar bem diversão com estudo, mas isso é mais exceção do que regra”, afirmou ele. Por isso, sair à noite ou fazer muitas atividades cansativas devem ser evitadas.

Alguns hábitos de lazer, porém, podem até garantir uma pontuação maior ao candidato. “Ler os colunistas e os editoriais dos jornais é fundamental, essa é uma orientação clássica”, lembra o professor Maurício, do Santa Maria.

FONTE: G1