Programas de qualificação tecnológica beneficiam jovens

Instituições não-governamentais e empresas oferecem programas que impulsionam carreiras na área de TI

Metade da população do Nordeste nunca usou um computador. A região, segundo dados da pesquisa TIC Domicílios, do Centro de Estudos sobre as Tecnologias da Informação e da Comunicação (Cetic.br), é a que tem o maior percentual (50%) de pessoas que nunca utilizaram um PC. Em todo o país, a parcela de excluídos digitais é de 41%. E na área rural esse contingente é ainda maior, chegando a 71% da população.

 O cearense Josinaldo Batista, de Aquiraz, teve contato com o computador pela primeira vez aos 15 anos e hoje, aos 21, estuda, dá aulas e trabalha com tecnologia

Até os 15 anos de idade, o cearense Josinaldo da Silva Batista, residente numa comunidade carente em Aquiraz, era uma dessas pessoas que nunca tinham tido acesso a um computador. A história começou a mudar em 2007, quando o jovem, que trabalhava numa cooperativa de raspagem de castanha de caju, por indicação de um amigo matriculou-se em um curso de capacitação profissional do projeto Midiacom, da ONG Iteva (Instituto Tecnológico e Vocacional Avançado). A iniciativa capacita jovens estudantes de escolas públicas para produção de multimídia, computação gráfica e comunicação digital.

Após as primeiras experiências com a tecnologia, vendo o que é possível realizar com um mouse à mão e uma ideia na cabeça, em 2011 Josinaldo participou do programa Students to Business (S2B), mantido pela Microsoft, que oferece treinamentos online e presenciais na área de tecnologia da informação (TI).

Na turma do S2B no Ceará, que incluía também estudantes universitários de outras instituições, Josinaldo conseguiu destacar-se com um bom desempenho, obtendo o primeiro lugar geral. Graças a isso, foi convidado pela Microsoft a participar de um evento mundial da companhia, chamado “Inovar para o Bem”, na Cidade do México. “Eu, que sequer tinha saído o Ceará, fui ao México e tive a oportunidade de discutir com jovens de outros países como inovar para o bem de nossas comunidades”, relembra o jovem.

Fonte: O Povo