Dia da Educação: a onipresença do processo educativo

a58c2170881559f3ece9bd4929108a12.jpg

O processo educativo se estabelece em todos os lugares e não se restringe à escola
Foto: Divulgação

Isabelle FigueirôaDo NE10

Embora a palavra educação remeta à maioria das pessoas ao universo escolar, ela se constitui num termo muito mais abrangente que envolve outros espaços sociais, como a casa, condomínio, templo religioso, clube ou academia, inclusive locais informais de interação entre os indivíduos, a exemplo de associação de moradores e organizações não governamentais. Àquela primeira noção de educação dá-se o nome de formal, pois é estabelecida em ambientes normatizados com regras e padrões comportamentais pré-definidos. No entanto, a educação, cuja data comemora-se neste domingo (28), é bem mais dinâmica e extrapola as quatro paredes da sala de aula, estando presente em todos os lugares da dinâmica social. [Assista ao vídeo abaixo]

Expressão da cultura de um povo, o processo educativo também é entendido como ato político (intencional ou não), quando se propõe a reproduzir ou transformar os padrões de uma sociedade. É um conceito complexo, o qual muitos estudiosos já o utilizam no plural em função da sua abrangência e multiplicidade, entendendo “várias educações” dentro da educação propiamente dita. Essa concepção é confirmada pelo professor e antropólogo, Carlos Rodrigues Brandão, ao afirmar que “não há uma forma única nem um único modelo de educação; a escola não é o único lugar onde ela acontece e talvez nem seja o melhor; o ensino escolar não é sua única prática e o professor profissional não é seu único praticante”.

Se a educação sozinha não pode transformar a sociedade, tampouco sem ela a sociedade muda (Paulo Freire)

Enquanto a finalidade principal da educação escolar é o ensino-aprendizagem de conteúdos sistematizados, a não formal pretende capacitar o indivíduo a ser cidadão do mundo, por meio de sua formação política. Embora não ocorra necessariamente na escola, este tipo de educação possui intencionalidade, planejamento e metodologia. Já a educação informal visa socializar e desenvolver hábitos de maneira espontânea. Confira outras diferenciações:

Não formal Formal Informal
Onde se educa? Locais informais de interação Escolas Casa, rua, clube, igreja
Quem educa? O outro Professores Pais, amigos, vizinhos etc
Para quê? Trabalhar a cultura política de um grupo Titulação para avançar a séries superiores Desenvolvimento do senso-comum dos indivíduos

Para a professora do Departamento de Educação da Universidade Federal Rural de Pernambuco, Bruna Tarcília Ferraz, um dos maiores desafios da educação contemporânea é como construir uma escola formal considerando os aprendizados informais e não formais. A fundadora da Casa de Passagem – Ana Vasconcelos, ONG que trabalha com crianças e adolescentes em situação de risco social, Cristina Mendonça, corrobora com a professora. “As escolas devem compreender que o aluno é um ser humano integral e precisa desenvolver tanto as habilidades cognitivas quanto as emocionais, artísticas, esportivas, entre outras, a fim de abranger todo o seu potencial”. Assista ao vídeo sobre os tipos de educação:

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=1s57mjz6Uw4]

GOHN, Maria da Glória. Educação não-formal, participação da sociedade civil e estruturas colegiadas nas escolas. Ensaio: aval. Pol. Públ. Educ., Rio de Janeiro, v.14, nº 50, p. 27-38, jan/mar 2006.