Heitor diz que servidores são impedidos de renegociar empréstimos consignados

heitor-ferrer

O deputado estadual Heitor Férrer (PDT) disse que os servidores públicos estaduais endividados estão sendo impedidos de renegociar as dívidas ou fazer portabilidade de seus empréstimos consignados. O parlamentar cobrou que o secretário do Planejamento do Estado, Eduardo Diogo, vá à Assembleia Legislativa prestar esclarecimento e disse que pedirá ao Ministério Público que interceda em favor dos trabalhadores. O pedetista tratou do assunto nesta quinta-feira, 28, na tribuna da Assembleia Legislativa.

Segundo Heitor, por trás da situação há esquema instaurado no Estado. Ele afirma que, se as dívidas fossem renegociadas, os funcionários pagariam juros entre 1,6% e 1,7%. Atualmente, os juros, remanescentes da época em que havia ingerência da empresa ABC na definição da margem dos empréstimos consignados, chegam a 2,8%. “É um mal ao servidor, que tem de recorrer a juros escorchantes”, reclamou o deputado, que considera que os endividados ficaram reféns do contrato anterior.Entenda como funcionaria o suposto esquema dos consignados

O contrato com a ABC para fazer o controle da margem de endividamento foi rescindido após denúncias de tráfico de influência, supostamente para favorecer Luis Antônio Valadares, o Zé do Gás, genro do secretário-chefe da Casa Civil, Arialdo Pinho. Enquanto a ABC atuava na regulação, a empresa Promus – da qual Valadares é sócio – tinha contrato de exclusividade com o Bradesco para oferta de crédito consignado. O banco mantém a maioria das operações no Ceará. Sócio de Valadares na Promus, o empresário Bruno Borges é, também, diretor da ABC.

Heitor apontou, na Assembleia, que mesmo desfeito o contrato com a ABC, a dívida dos trabalhadores permanece e, desse modo, a Promus continua ganhando. Se houvesse a renegociação, salienta o parlamentar, a empresa perderia o valor mensal recebido. “Isso não é um modelo, é um esquema dentro do Governo do Estado”, afirmou.

Base do governo
O líder do governo Cid Gomes (PSB), deputado José Sarto (PSB), disse que o secretário do Planejamento, Eduardo Diogo, já irá à Assembleia Legislativa na próxima semana, para falar sobre a proposta de mudança na Previdência dos servidores estaduais. O parlamentar disse ainda que já conversou com o secretário e que Diogo está aberto ao diálogo e a ir prestar esclarecimentos.

O Povo com informações do repórter Marcos Robério