Evaldo informa que todas as escolas da rede municipal receberão melhorias

Vereador do PCdoB é o líder do Executivo na CMFor – Foto: Genilson de Lima

As escolas da rede municipal de ensino passaram por vistorias técnicas, resultando na interdição de três unidades pela Secretaria Municipal de Educação (SME). A ação integra o projeto do Poder Executivo com vistas à melhoria estrutural das escolas, conforme evidenciado pelo líder do governo na Casa, vereador Evaldo Lima (PCdoB), na tribuna da Câmara Municipal de Fortaleza, nesta terça-feira, 26.

“Todas as escolas da rede vão sofrer reparos, para que a comunidade escolar tenha comodidade e segurança”, colocou o parlamentar. Outra ação da SME foi a adesão ao projeto Buriti, que fornecerá material didático aos 18 mil alunos da pré-escola. “Os alunos da rede municipal vão receber o mesmo material de muitas escolas privadas de Fortaleza”.

A Secretaria de Educação providenciou também a aquisição de uma série de materiais para o bom funcionamento das escolas, como apontou Evaldo Lima. Nessa estruturação das unidades foram adquiridos 3.148 projetos com lousa digital, um apoio ao trabalho dos professores, ressaltou o líder do Governo.

Evaldo Lima destacou ainda os projetos para a área, dentre eles, o processo seletivo de gestores. “Há uma defasagem na educação e tenho certeza de que estamos no caminho certo, muitos avanços ainda são precisos”, pontuou.

Calendário Escolar

O líder do governo evidenciou ainda o Pacto de Responsabilidade Social e Pedagógico pelos Estudantes, que tem como foco diminuir o déficit no calendário escolar de Fortaleza. O parlamentar enfatizou o problema com a aprendizagem dos alunos da rede municipal, onde aproximadamente 50% dos estudantes até o 5º ano não sabem ler ou escrever. “Nós temos que construir pontes para superar esses problemas”, colocou Evaldo.

O vereador João Alfredo (PSOL) questionou as medidas que o Pacto coloca para a readequação do calendário. “Me parece que as medidas não corrigem esse problemas, há uma perda efetiva da qualidade e da quantidade”, apontou o parlamentar. O socialista atentou ainda para a Lei do Piso dos professores que prevê tempo para o planejamento das aulas e a rejeição da proposta pelos professores.

O vereador A Onde É (PTC), também em aparte, ressaltou a expectativa diante da proposta do Executivo para a educação, enfatizando que o Pacto é um modelo que ele aposta para a melhoria do serviço. “O que nós precisamos é de uma escola de qualidade e um ensino adequado”, pontuou.

CMFor