Estudantes da zona rural ficam sem escola

Fechamento de anexo em localidade do município de Barro causa insatisfação de alunos do Ensino Médio

Barro Alunos do primeiro ao terceiro ano do Ensino Médio, que até o fim do ano passado estavam matriculados na Escola de Ensino Fundamental e Médio Deputado Antônio Leite Tavares, ameaçam não frequentar o ano letivo 2013. A unidade educacional tinha um anexo na Escola Joaquim Alves Pereira, no Distrito de Santo Antônio.

Escola Joaquim Alves Pereira era, no Distrito de Santo Antônio, um anexo da Escola de Ensino Fundamental e Médio Deputado Antônio Leite Tavares. O Crede justifica baixo índice de matriculados FOTO: ROBERTO CRISPIM

A polêmica surgiu a partir da decisão do fechamento do anexo escolar e o encaminhamento dos alunos para uma unidade de ensino na sede do município.

A decisão em torno do fechamento do anexo partiu da coordenação do Crede 20, sediado em Brejo Santo. Conforme os alunos, uma reunião envolvendo a comunidade escolar, pais e representantes de alunos e integrantes do Crede foi realizada para que o anúncio do fechamento fosse oficializado.

“Na reunião nos deram duas opções: aceitávamos as transferências para a Escola Mauro Sampaio, que fica na sede do município, ou então os alunos deixariam de estudar”, afirma Luciano Pereira, que possui parentes que estudavam no anexo.

Segundo ele, o entrave em relação às transferências se dá devido à distância entre o distrito e a sede do município. “São mais de 14km até a sede. Há jovens que trabalham durante o dia e que se sentem prejudicados com essa mudança. O deslocamento traria desconforto e um cansaço excessivo aos alunos”, garante.

A aluna Angélica Silva é outra que também não concorda com o fechamento da unidade. “O Crede 20 foi ao colégio e fez uma reunião com os alunos e lá informaram que a quantidade de matrículas é insuficiente para manter a escola. Já faz sete anos que o anexo funciona e, durante este período, o número de alunos nunca passou de 200”, observou a aluna. Conforme Angélica, também foi informada a incapacidade financeira do Estado em custear o deslocamento do professorado à unidade de ensino. “Eles disseram que não há recursos para o pagamento do transporte dos professores e aí deram as opções de estudarmos no Mauro Sampaio ou então deixarmos de estudar”, disse.

A situação levou estudantes, pais e responsáveis a encaminharem um abaixoassinado à Câmara de Vereadores do município. No documento, a comunidade de Santo Antônio solicita a interferência do Poder Legislativo como forma de se resolver a questão. “Nós recebemos o abaixoassinado e, de pronto, encaminhamos ofício ao Crede 20, bem como à Secretaria de Educação Básica do Ceará, na perspectiva de que possam os ser sensibilizados e de que uma solução possa ser encontrada”, informou o presidente da Câmara, Eurandir Sinézio.

O ano letivo já foi iniciado na EEFM Mauro Sampaio, unidade onde os alunos foram matriculados. No entanto, ontem, a maioria dos alunos da região de Santo Antônio não compareceu às aulas. O Crede vai voltar a conversar com alunado.

A coordenadora do Crede 20, professora Luciana Brito, deverá reunir-se com a comunidade escolar da região de Santo Antônio durante esta semana. Segundo ela, o fechamento do anexo da escola Deputado Antônio Leite Tavares se deu mediante o baixo número de alunos matriculados na unidade.

“Não há interesse em prejudicar aluno. Muito pelo contrário. O que nós estamos propondo, com o fechamento do anexo e o deslocamento do alunado à nova unidade, é que estes passem a receber melhor condição de aprendizado”, explica ela.

Segundo Luciana Brito, embora haja o interesse dos alunos em permanecer estudando próximos de casa, a qualidade do aprendizado ofertado precisa ser observado.

Objetivo

“Mesmo com o esforço do professorado, a verdade é que nem todas as escolas que funcionam no Interior dos municípios possuem as condições necessárias para fomentar uma qualidade maior ao aprendizado do seu alunado. E é isso o que estamos objetivando aos alunos da região de Santo Antônio. Queremos é que eles possam aprender melhor, com maior qualidade de ensino e que recebam, na nova unidade onde estão matriculados, maior comodidade”, afirmou a coordenadora do Crede.

Porém, ela não confirmou a data da reunião com os estudantes do Distrito de Santo Antônio. Disse, apenas, que está acontecerá até o fim desta semana.

“Até porque as aulas já iniciaram e os alunos estão sendo prejudicados com as ausências em sala de aula”.

ROBERTO CRISPIM
COLABORADOR

Diário do Nordeste