Orçamento na pauta tardia

Que compromisso os parlamentares têm com o orçamento federal? A pergunta é pertinente, já que é do acerto no Congresso, determinado pela Constituição, que saem recursos para obras nas áreas de educação, saúde, habitação e infraestrutura, entre outras, efetuadas pela União. Ou seja, para despesas com necessidades básicas da população. Mas o orçamento para 2013, que deveria ter sido votado até 31 de dezembro de 2012, congelou. E hoje deverá haver nova tentativa de apreciação da matéria. Onde está o nó: na oposição. Siglas adversárias do Planalto só aceitam fazer a votação após 3.210 vetos, que estão prontos para análise, relativos a 209 projetos, serem apreciados em sessão do Congresso. E os interesses sociais são, mais uma vez, balizados por interesses partidários.

Diário do Nordeste