O Latim não é língua morta, garante professor

latimE para quem acha que, além de algumas liturgias, só entre os muros do Vaticano se fala latim, em  determinados encontros com o papa, está enganado.Em Fortaleza também se ensina a língua milenar.

ANCORADOURO conversou com um dos professores mais renomados no ensino de língua estrangeira da capital cearense. O episódio do anúncio da renúncia foi feito nesta língua pelo Papa Bento XVI reafirmando mais uma vez que esta é a língua oficial da Igreja.

Antonio Brandão leciona na Faculdade Católica de Fortaleza e podemos considerá-lo um poliglota. Além do Latim ensina  grego, espanhol e inglês,do francês e italiano faz traduções e pela  Universidade Federal do Ceará é licenciado em língua portuguesa e alemã. A humildade domagister (termo latino para professor)  é proporcional à sabedoria: “Na realidade nem o português eu falo bem”, disse ao blog no começo da entrevista, antes de saber do currículo.

Leia também:

Multidão saúda Bento XVI no seu penúltimo Angelus

Hostilidade marca análise da grande imprensa a Bento XVI

Arcebispo de Fortaleza fala a jovens sobre drogas, evolucionismo e fé

Seu primeiro contato com a língua latina foi em 1982,ainda no curso de letras da UFC, mas só passou a lecionar regularmente em 1995. Relembra que foi aluno dos professores Nascimento Braga e Vicente Eduardo, sumidades da época.

Fac-símile de edição latina da Bíblia

Fac-símile de edição latina da Bíblia

Brandão explicou o porquê do latim ser a língua oficial da Igreja. “A Igreja está alicerçada em Roma, berço do Latim. Também é nessa língua que se encontram os tesouros da Tradição da Igreja Católica Apostólica Romana. Além disso, é uma língua profundamente lógica. Então, todo documento oficial da Igreja deve ser publicado primeiro em Latim; só depois é que se traduz para as outras línguas”.

A colocação do professor desqualifica o “repúdio” da  colunista da Folha de São Paulo  Bárbara Gâncio que, como se fosse uma fiel ardorosa da fé católica, reclamou do papa ter feito o anúncio de sua  renúncia em Latim. “ Não poderia ser diferente por dois motivos: 1º) é a língua oficial da Igreja, como já comentei. 2º) o Santo Padre fala fluentemente o Latim. Ele usa essa língua com conhecimento profundo”, explicou.

E sobre o desaparecimento da língua latina, tão comentado nos meios de comunicação, o professor é categórico, “equivocadamente pensamos que o Latim morreu”. De fato, com informações do professor, o Latim continua existindo em todas as línguas neolatinas,Português, Espanhol, Italiano, Francês, Romeno, Galego, Catalão, Rético, Provençal e até no Inglês que, apesar de não ter origem latina, possui um vocabulário latino em torno de 65%.

“Além disso, termos técnicos e científicos têm sua base no Latim. Nas escolas da Inglaterra estão ministrando o ensino do Latim para as crianças a partir dos seis anos de idade. Quando criaram a União Europeia e implantaram uma única moeda, perguntaram: que língua poderia também ser a língua oficial da União? Responderam: o Latim. Replicaram: mas o Latim está morto! Treplicaram: também o Hebraico já estava morto na época em que Cristo veio ao mundo, isto é, há dois mil anos, e os judeus transformaram na língua oficial do Estado de Israel no século XX de nossa era”, ensinou.

Em Fortaleza, explica  Brandão, “ninguém fala o Latim tal qual é estudado nas faculdades. Falamos o Latim transmutado em Português” e relembra que no brasão da capital tem a palavra latina FORTITUDINE que significa “com fortaleza”.

Os candidatos ao sacerdócio na Igreja Católica estudam o Latim durante o curso de filosofia. “Os sacerdotes têm o Latim como a língua oficial da liturgia. O próprio Direito Canônico diz que ‘a liturgia seja celebrada em Latim ou outra língua’”,mas isso, como disse o professor, é outro assunto,que dá para ser desenvolvido em várias páginas.

 Confira sites  em Latim

Site do Vaticano

Bíblia Católica 

Anúncio da renúncia do papa em Latim

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=QcAJJyHU5pQ&w=425&h=344]

O Povo