Paim manifesta preocupação com evasão escolar e defende escola mais dinâmica

Da Redação

O problema da evasão escolar preocupa o senador Paulo Paim (PT-RS). Em pronunciamento nesta sexta-feira (15), o parlamentar gaúcho considerou positivos os avanços da educação nas últimas décadas e elogiou o esforço do governo para combater o abandono de estudos por meio de ações como o Programa Ensino Médio Inovador (ProEmi) e o Bolsa família, mas assinalou que o problema  ainda está longe de ser resolvido.

– Muitos até estranham que alguém ainda venha falar desse tema na tribuna, pensando que, definitivamente, essa questão estaria morta e enterrada. Não está. A verdade é que se trata de um fenômeno difícil de ser extirpado da educação – disse Paim.

Dentre os motivos que levam o aluno a deixar de estudar estão, conforme o senador, a ausência de vagas em escolas perto de casa, a deficiência de transporte escolar e a necessidade de trabalhar. Apesar da complexidade do problema, Paim avalia que a evasão escolar poderia ser parcialmente solucionada com a adoção de metodologias e ações que criem um modelo de escola mais dinâmica e criativa dentro do espírito da inclusão do indivíduo.

– Segundo estudo da Fundação Getúlio Vargas, o mero desinteresse pela escola contribui com cerca de 40% do abandono, demonstrando que a escola que aí está não oferece alternativas consideradas interessantes, motivadoras e atraentes pelos jovens – observou.

Combater a evasão escolar, na avaliação de Paim, também passa pela aplicação de mais investimentos na educação como a destinação de 10% do Produto Interno Bruto (PIB) para o setor. A medida está prevista na versão do Plano Nacional de Educação (PNE) aprovado pela Câmara e que tramita atualmente no Senado (PLC 103/12).

– O que chama atenção é que o modelo escolar que vimos desenvolvendo precisa melhorar, precisa aperfeiçoar-se, para que inclua todos os jovens brasileiros que desejem frequentar uma escola dinâmica, criativa – assinalou Paulo Paim.

Agência Senado