Proposta de Ivo Gomes gera reação na Câmara

A proposta de alterar o calendário letivo de alunos das escolas municipais provocou o primeiro embate direto entre o PT e a base aliada do prefeito Roberto Cláudio (PSB) na Câmara Municipal de Fortaleza.

Pela manhã, antes de oficializar as mudanças no Ministério Público Estadual, o secretário da Educação, Ivo Gomes, convocou a Comissão de Educação, Cultura e Desporto do Legislativo Municipal para anunciar as alterações no calendário. Embora recebido com bons olhos pela maioria dos parlamentares, o projeto foi criticado pelo vereador Guilherme Sampaio (PT).

Na sala de reuniões da Presidência da Câmara, o parlamentar teria sido o único dos integrantes da Comissão a contestar o projeto e bater de frente com o secretário.

Já na tribuna da Casa, Guilherme argumentou que a decisão de minimizar o ano letivo fere a Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB), que estabelece que o ensino fundamental precisa

ter um mínimo de 800 horas anuais e 200 dias de aula. Segundo ele, com a redução do calendário, os estudantes perderiam cerca de 20% do conteúdo escolar.

Em conversa com O POVO, o vereador contou que teria tentado apresentar uma alternativa à proposta do secretário, com o acréscimo de uma hora por dia às aulas já no ano letivo de 2012. Contudo, Ivo teria se recusado a escutar.

Nos bastidores, O POVO apurou que houve bate-boca entre Ivo e Guilherme. O secretário teria dito que o petista passou toda a gestão Luizianne Lins “fazendo política em torno do sistema municipal de Educação” e não iria aceitar nenhum tipo de interferência política em sua gestão. (Raquel Maia – raquelmaia@opovo.com.br)

O Povo