Campanha valoriza os direitos das crianças

População recebe orientações para fazer denúncias em caso de maus-tratos contra crianças e adolescentes

A Secretaria Municipal de Cidadania e Direitos Humanos (SCDH) realizou, ontem, no Parque das Crianças, no Centro, o lançamento da Campanha de Proteção à Criança e ao Adolescente. O objetivo é trabalhar com outros órgãos, como a Delegacia da Criança e do Adolescente (DCA) e Juizado da Infância e Juventude, e conscientizar a população para que faça as denúncias através do Disque 100.

A criançada presente no Parque das Crianças, no Centro, pulou e brincou ao ritmo das músicas de Carnaval. O objetivo do evento era levar à população a mensagem da prática da denúncia em caso de violação de direitos Foto: JL Rosa

Para celebrar a campanha e também o Carnaval, cerca de 200 adolescentes que integram o programa Crescer Com Arte participaram da festa das crianças e adolescentes com a Charanga do Tatá.

Os jovens deram a volta em todo Parque das Crianças cantando e dançando músicas de Carnaval. Eles estavam divididos em alas e também usavam os mais variados tipos de fantasias.

Uma parte importante do trabalho neste Carnaval, comentou o titular da secretaria, Karlo Kardozo, é realizar a conscientização junto à população. Por isso, ações serão realizadas no Aeroporto Pinto Martins, terminais rodoviários, principais saídas da cidade e também nos polos de festa. “Durante todo o período do Carnaval, teremos equipes de educadores trabalhando nesses locais”, afirma.

Segundo Kardozo, o município vai conscientizar e fiscalizar, porém não terá poder de prender e julgar. Dessa forma, uma rede com outros órgãos poderá fazer essa parte do trabalho. As festas noturnas serão o foco dessa atividade.

“Por isso, focamos na conscientização das pessoas, pois elas não podem fechar os olhos para algo tão grave. É preciso denunciar para que seja possível coibir”, declarou o titular da SCDH.

O número de denúncias feitas, durante o período de Carnaval, por meio do Disque 100, tem diminuído nos últimos anos, em Fortaleza. Em 2010, foram 197 denúncias, no ano seguinte foram registradas 159 e ano passado foram 139 telefonemas.

De acordo com o secretário, o número de queixas é grande nessa época devido as características do Carnaval em que muitos turistas vem para a Capital. “A tendência é sempre ter um aumento nessa época do ano”, disse o secretário.

Ele ressaltou também que o órgão estará atento às acusações relacionadas ao trabalho infantil. “Infelizmente, isso é algo que acontece bastante”.

Além disso, o secretário destacou que todo esse trabalho sempre terá que ser feito junto com o fortalecimento da família. Principalmente porque o município não pode assumir inteiramente a educação e proteção desses jovens. Dessa forma, é necessário que eles tenham pais e mães que lhe deem todo o apoio possível em todas as horas.

Telefonemas

Segundo a ministra da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, Maria do Rosário, a central de atendimento do governo recebeu cerca de 250 mil telefonemas somente no ano passado, sendo a maioria, quase 160 mil, de violência contra crianças e também adolescentes. As outras denúncias são de violência contra LGBT, idosos e moradores de rua.

Denúncias

139 telefonemas foram feitos para o Disque 100, no ano passado, durante o período de Carnaval denunciando violência contra crianças e também adolescentes

THIAGO ROCHA
REPÓRTER

Diário do Nordeste