Evaldo Lima reafirma compromisso da Prefeitura com uma educação de qualidade

Vereador do PCdoB é o líder do Executivo na CMFor – Foto: Genilson de Lima

O vereador Evaldo Lima (PCdoB), líder do governo na Câmara, nesta quinta-feira, 7, ressaltou o projeto da gestão do prefeito Roberto Cláudio para melhorar a educação pública na Capital. O parlamentar destacou a visita do secretário de Educação do Município, Ivo Gomes, à Comissão de Educação da Câmara, apresentando o projeto “Fortaleza do Conhecimento” nas escolas municipais.

O líder do governo frisou que o momento é de compactuar compromissos. O projeto apontado pelo secretário Ivo Gomes, como apontou Evaldo Lima, foi construído em parceria com o Ministério Público, Rede de Pais, Ministério da Educação, dentre outras entidades. “Esta Casa também deverá ser solidária ao projeto apresentado à Comissão de Educação”, colocou.

Evaldo Lima elencou algumas das ações prevista para melhorar o sistema educacional. Dentre elas a realização de seleção pública para diretores e chefes de distritos e a implantação de 48 escolas com ensino de tempo integral. No compromisso com a educação, como destacou o parlamentar, o prefeito Roberto Cláudio recuperou os recursos federais para a construção de 80 creches, além das 17 novas unidades em licitação pelo Governo do Estado.

Iniciando o seu primeiro mandato com desafio da liderança do Governo, Evaldo Lima recebeu o apoio e os cumprimentos dos parlamentares presente na sessão plenária. O vereador Márcio Cruz (PR), apontou a expectativas com a gestão Roberto Cláudio, pendido a intermediação do líder nos anseios da população e servidores do Município.

A vereadora Cláudia Gomes (PTC), em apoio à proposta para a educação, salientou que é preciso priorizar a qualidade. “O mais importante é a qualidade do serviço ofertado aos alunos, o interesse é melhorar a qualidade do serviço, uma educação diferenciada”, atentou.

O comunista encerrou o seu pronunciamento salientando que a liderança sempre promoverá o bom debate, na busca por uma cidade mais justa e igualitária. “Infelizmente ainda somos a segunda cidade mais desigual do país e a quinta do mundo”, evidenciou.

CMFor