Vereador quer área de segurança escolar

O vereador Acrísio Sena (PT) pretende apresentar um projeto de indicação, sugerindo à Prefeitura de Fortaleza, a implantação de medidas que diminuam a circulação de drogas nas proximidades das escolas, na Capital cearense. A proposta foi lançada pelo parlamentar durante seu pronunciamento sobre a manchete veiculada ontem, no Diário do Nordeste: “Traficantes estão perto de escolas no Estado”.

Acrísio Sena disse que já tinha apresentado projeto de lei, em 2009, tratando do assunto. O projeto, segundo ele, foi aprovado, mas o Executivo não aproveitou a ideia. A sugestão do vereador era criar uma área de segurança escolar. Agora, informa, sua proposta será reapresentada como um projeto coletivo que terá a participação de mais quatro vereadores: Gelson Ferraz (PRB), Paulo Diógenes (PSD), Capitão Wagner (PR) e Vitor Valim (PMDB).

Acrísio Sena afirma que o projeto não trará nenhuma despesa para o Executivo, pois a Prefeitura irá atuar com os órgãos que já possui. A proposta prevê melhorias e fiscalização nas proximidades das escolas municipais, com um raio de atuação de 100 metros de onde as escolas estão situadas. Ele defende a melhoria na iluminação pública; fiscalização dos ambulantes, para checar se eles não estão comercializando qualquer tipo de droga; fixação de paradas de ônibus na porta das escolas e a presença constante da Guarda Municipal.

Outra sugestão do parlamentar é adotar como disciplina escolar a discussão das drogas sob a visão da saúde, dos direitos humanos e da segurança pública, informando que ainda vai se reunir com os quatro vereadores para debater o assunto, entendendo que os dois fatores que mais contribuem para o problema é falta de fiscalização e segurança.

De acordo com a manchete do Diário do Nordeste, uma pesquisa realizada pelo portal QEdu: Aprendizado em Foco, em parceria entre a empresa Meritt e a Fundação Lemann, organização sem fins lucrativos voltada para a educação, apontou que mais de um terço das escolas públicas brasileiras, o equivalente a um total de 35%, sofrem com o problema do tráfico de drogas em suas proximidades.

Para o vereador Vitor Valim (PMDB), o resultado desse levantamento é preocupante, pois entende que essa convivência com o tráfico de drogas está virando um costume nas periferias da cidade, e os traficantes acabam se tornando um referencial para os estudantes. Para ele, é necessária ação efetiva na prevenção às drogas nas escolas públicas.

O vereador disse esperar um quadro diferente na gestão de Roberto Cláudio, entendendo que Executivo e Legislativo, juntos, podem mudar esse tipo de estatística. De acordo com ele, em 2012, Fortaleza registrou 1.628 homicídios, o que resulta em um montante de 65% de casos de homicídios por 100 mil habitantes, enquanto o percentual admitido pela Organização Mundial de Saúde são de dez casos para 100 mil habitantes.

Diário do Nordeste