Municípios da Zona Norte debatem saúde pública

O Governo do Estado já construiu 43 unidades básicas de saúde na Zona Norte e 13 centros odontológicos

Sobral O secretário de Saúde do Estado, Arruda Bastos, se reuniu com prefeitos e secretários de Saúde dos municípios da Zona Norte a fim de criar o novo perfil de saúde da região. A reunião ocorreu no auditório do Hospital Regional Norte (HRN) na manhã de ontem.

Gestores municipais conheceram as políticas públicas estaduais para o setor, bem como as unidades que estão projetadas para a rede na região Fotos: Jéssyca Rodrigues

Na ocasião, o secretário aproveitou para relembrar a inauguração das Policlínicas, Centros de Especialidades Odontológicas (CEO) e a Rede de Urgência e Emergência, por meio das Unidades de Pronto Atendimento (UPA). “No fim do projeto, em todos os municípios com mais de 50 mil habitantes, teremos uma UPA. Nos municípios que não atingirem esse quantitativo, terão unidades em consórcio com outros”, apontou.

Nessa região, 43 unidades básicas de saúde foram construídas, assim como 13 dos 18 CEOs. Sobre o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência, Arruda destaca que na semana após o Carnaval haverá a discussão da implantação do serviço em outras cidades.

O secretário reforçou o pedido com os gestores de manter o compromisso de não reduzir o atendimento em média complexidade. “Não importa o que aconteça, mas as Prefeituras devem manter a média complexidade funcionando. Com esses investimentos em alta complexidade na região, queremos que os prefeitos invistam em atenção primária e saúde básica. O perfil do HRN é de alta complexidade. Não pode ser tratado diferente”.

O Estado tem 32 hospitais polos. Em Sobral, atualmente, são repassados R$ 420 mil por mês para a Santa Casa de Misericórdia. Já para os hospitais de pequeno porte, o secretário ressalta que está sendo estudado um aumento no repasse.

O secretário de Saúde de Crateús, Humberto Cesar Frota Gomes, esteve presente na reunião e afirma que a expectativa do novo perfil de atendimento de saúde está positivo. “Com o novo hospital, esperamos que o atendimento se torne mais rápido. A Santa Casa hoje está estrangulada”, aponta.

Crateús é o município polo da Macrorregião do Sertão Central, que conta com 11 outros municípios. Outra vantagem trazida pelo HRN apontada por Humberto é a proximidade de Crateús com Sobral, de 220km, quase 100km a menos do que a distância entre Crateús e Fortaleza.

O prefeito de Carnaubal, Raimundo Nonato Chaves de Araújo, aguarda com ansiedade o total funcionamento do HRN. Com 17 mil habitantes, Carnaubal não entrou nos projetos citados por Arruda Bastos. Por isto hoje mantém convênio com Ubajara, a 40km, para uso do CEO, e com Tianguá, a 60km, para o uso da Policlínica.

“Nós sabemos que a saúde enfrenta desafios em nível nacional, sendo uma das maiores preocupações de um gestor. Em minha vida, já acompanhei um problema pessoalmente. Já vivenciei um caso desse tipo onde uma amiga teve câncer em uma mama e depois suspeita na outra, e teve que esperar seis meses para a consulta. Com o HRN, espero que o tempo para atendido seja menor e a proximidade das consultas aumente”, declarou o gestor.

O prefeito de Reriutaba, Galeno Taumaturgo Lopes, também acredita na maior agilidade de atendimento que o hospital está trazendo. Com sete equipes de Saúde da Família e um hospital de pequeno porte, a maior demanda de atendimento é para urgência e emergência, principalmente em acidentes de moto com traumatismos cranianos.

“Estamos reorganizando a atenção básica em toda a infraestrutura e a rede de serviços. Os pacientes mais graves são transferidos para sobral. Atualmente, a Santa Casa de Misericórdia é que atende todos os pacientes, mas temos ciência da superlotação do hospital”, disse.

O Hospital Regional Norte (HRN) deve ter todos os serviços implantados até maio deste ano. O processo começou com a área administrativa, há dois meses, e o prazo final foi anunciado pelo secretário de Saúde em janeiro, quando esteve presente no hospital para o processo de implantação do centro de ensino e pesquisa da unidade de saúde.

Após a apresentação de ontem, o próximo passo será a implantação das Unidades de Terapia Intensiva (UTIs). O processo será concluído com a implantação das emergências adulta e pediátrica e da emergência obstétrica, em maio.

Capacitação

A estrutura de ensino do HRN, que funciona também como hospital escola, conta com cinco salas de aula, salas de professores, biblioteca e auditório com 220 lugares, na parte superior do bloco de admissão de pacientes.

Segundo a assessoria da Secretaria de Saúde do Estado, desde 2011 o órgão mantém em parceria com a Escola de Saúde da Família Visconde de Sabóia, cinco cursos de especialização em gestão da saúde e nove cursos de aperfeiçoamento que envolvem 1,5 mil gestores da macrorregião de saúde.

JESSYCA RODRIGUES
COLABORADORA

Diário do Nordeste