Seduc vai investigar se aluno espancado sofreu bullying de professor

THIARA NOGUEIRA/ O POVO

A Superin-
tendência das Escolas Estaduais de Fortaleza (Sefor), ligada à Secretaria de Educação do Ceará (Seduc)vai investigar se o estudante de 16 anos da Escola Paulo Freire sofreu bullying nesta quarta-feira, 30. De acordo com o coordenador da superintendência, José Célio Pinheiro, a mãe do garoto denunciou que, antes da agressão física, ele ouviu “comentários inoportunos” do professor durante a aula.

Pinheiro afirmou ainda que a investigação segue orientação da secretária de educação, Izolda Cela, para mobilizar toda a comunidade escolar e investigar se, de fato, ocorreu o bullying. “Conversei com a diretora e ele foi ao IJF acompanhar de perto a situação do aluno. Se necessário, iremos abrir um processo administrativo contra o professor suspeito de ter incentivado o bullying, para que ele se comporte como um mestre”, explica. 

O coordenador da Sefor assumiu que a situação começou dentro da escola, mas a agressão física ocorreu a quatro quarteirões do prédio. “Se eles estavam usando a farda, ou seja, representando a escola, vamos consultar os rendimentos para tomar os procedimentos necessários”, afirma. Ainda nesta quinta-feira, 31, uma reunião deve ser realizada com os pais do aluno.

O Instituto Dr. José Frota (IJF) informou que o adolescente espancado foi medicado, fez um exame de raio-x e está consciente.

Redação O POVO Online