Não seria desumano o aluno estudar com uma máquina, diz especialista

Everton Zanella AlvarengaColaborador da enciclopédia entende que o sistema tem de mudar, mas não ser trocado pela rede

Leonardo Pereira

Quando Everton tinha 12 anos, chorou ao receber sua primeira nota vermelha na escola, que veio após uma prova de História cujo conteúdo a professora mandara decorar. Ele não entendeu por que deveria estudar cinco questões se, na realidade, só três constariam no teste, perdeu o interesse pela matéria e passou a questionar aquele modelo de ensino.

Hoje, formado em Física, Everton Zanella Alvarenga está envolvido em uma série de projetos de cultura livre e grupos como a Wikimedia Foundation e a Transparência Hacker, além de contribuir com a formação da Chapter of Open Knowledge Foundation no Brasil. As dúvidas em relação ao que se aprende e como isso é feito só aumentaram e, por isso, ele ajudou a desenvolver oWikipédia na Universidade, que tenta espalhar o conhecimento de forma mais dinâmica e democrática.

O projeto faz parte do Programa Wikipédia no Ensino e busca estimular estudantes, professores e universidades a usarem plataformas wiki como parte do aprendizado. Mas, como explicou Everton ao Olhar Digital, a ideia não é substituir o sistema atual, com professores, escolas etc., por um em que só constem aluno, tela e internet. “Talvez haja um meio termo, porque o contato real também é importante”, disse.

“É preciso aprender a filtrar, pois, se está mais fácil compartilhar conhecimento, também está muito mais fácil compartilhar lixo. Informação não é a mera transmissão de conhecimento, e é aí que entram os professores”, explicou.

Everton criticou bastante o modelo de aprendizagem vigente durante um painel na Campus Party Brasil, inclusive dizendo que as escolas brasileiras não ensinam o que é física – “eu fui descobrir isso mais tarde”. “Quando você conversa com uma criança, percebe que ela tem um monte de perguntas”, disse. “Isso porque ela ainda não teve sua inteligência assassinada pelas escolas e pelos professores.”

Na visão dele, não seria desumano colocar um aluno para estudar diretamente com uma máquina, e a tecnologia tende a se desenvolver a ponto de combater o problema da frieza que há entre pessoas e computação. Só que isso talvez não seja suficiente para se ter uma experiência completa, pois o contato pessoal e o ambiente são importantes para a formação do indivíduo.

“Mas eu acredito sim que a internet vai possibilitar uma catalisação do aprendizado pra facilitar que as pessoas descubram melhor o que elas gostam e o que elas querem.”

A Wikipédia já tem papel cativo no ciclo de aprendizagem, mas não deve ser usada como fonte única de informação. Everton explicou que, como qualquer enciclopédia, o site é somente um ponto de partida, de onde se tira referências para pesquisas aprofundadas. “Eu daria zero a quem citasse como fonte a Wikipédia num trabalho de faculdade”, afirmou.

Olhar Digital