Academia de Letras empossa nova diretoria

O novo presidente, José Augusto Bezerra, sucede no cargo o acadêmico Pedro Henrique Saraiva Leão, que estava a frente da entidade desde 2009

O Palácio da Luz, sede histórica da Academia Cearense de Letras, recebe hoje convidados para a cerimônia de posse de sua nova diretoria. Os imortais das letras cearenses terão como presidente para o biênio 2013-2014 o escritor e bibliófilo José Augusto Bezerra. A solenidade é realizada a partir das 19 horas.

O novo presidente sucede no cargo o acadêmico Pedro Henrique Saraiva Leão, que estava a frente da entidade desde 2009.

José Augusto Bezerra ocupa a cadeira de número 12, cujo patrono é Heráclito Graça. Natural de Alto Santo (a 241 km de Fortaleza), o bibliófilo possui um dos mais completos acervos particulares do País, totalizando mais de 27 mil títulos.

Seu currículo a frente de entidades que atuam em prol da cultura no País inclui a presidência do Instituto do Ceará – Histórico, Geográfico e Antropológico e da Associação Brasileira de Bibliófilos, a qual é também fundador. É membro ainda da Academia Fortalezense de Letras, Academia Cearense da Língua Portuguesa e Academia Cearense de Retórica.

Perfil

José Augusto viveu parte da infância em Recife, onde começou a formar sua biblioteca e ingressou na Escola de Administração da Universidade Federal de Pernambuco. O curso foi concluído em 1975 em Fortaleza, transferido para Universidade Federal do Ceará.

A partir de 1969 atuou como executivo da Philips do Brasil dirigindo os negócio da empresa em estados como Ceará, Piauí e Maranhão. Paralelamente, exerceu a docência durante um breve período na Universidade Estadual do Ceará (UECE, atuando ainda em palestras e seminários sobre o mundo empresarial.

A vida movimentada permitiu que José Augusto aprimorasse gradualmente sua biblioteca a ponto de, já na década de 1980, ser considerada uma referência nacional.

Entre os estudiosos que visitaram seu acervo, estão Gilberto Freire, Aurélio Buarque de Holanda e Paulo Rónai.

O acervo foi base para o livro “Uma história do Brasil em manuscritos”, lançado por José Augusto em 2011, editado pelo Instituto do Ceará, que inclui documentos manuscritos entre o período da descoberta do País, em 1500, até a queda do Império, em 1889.

Reconhecimento

O trabalho dedicado as letras lhe renderam alguns prêmios, incluindo o diploma de Mérito Cultural da Academia Cearense de Letras, em 2005, a Medalha Boticário Ferreira (2009), mais alta comenda da Câmara Municipal de Fortaleza e o Troféu Sereia de Ouro (2010).

Membro da ACL, José Augusto Bezerra é agora eleito para a presidência da entidade, considerada a mais antiga do Brasil – fundada em 15 de agosto de 1984, três anos antes da Academia Brasileira de Letras – e instância máxima das letras no Estado.

Mais informações:

Solenidade de posse da diretoria da Academia Cearense de Letras. Hoje, às 19h, no Palácio da Luz (Rua do Rosário, 1 – Centro). Traje: Passeio Completo. Contato: (85) 3226-0326

Diário do Nordeste