Violência no entorno e dentro das Escolas de Fortaleza é tema de audiência pública

Alunos da rede pública participaram do debate promovido pela CMFor – Foto: Evilázio Bezerra

Com o objetivo de debater a situação de violência vivenciada por professores, alunos e funcionários das Escolas da Rede Pública de Fortaleza, a Câmara Municipal realizou na tarde desta quarta-feira, 28, audiência pública. A iniciativa do vereador João Alfredo (PSOL), permitiu o debate por diferentes olhares da sociedade, que apontaram alternativas para minimizar o problema.

Os estudantes das Escolas Adauto Bezerra e do Liceu deram inicio ao debate destacando o número de casos de violência cometidos diariamente no entorno e dentro dos colégios. “Nós estamos ficando acuados, temos medo de crianças, por que as mesmas estão armadas. Perdemos o nosso direito de ir e vir”, ressaltou o estudante Alécio.

A professora Ana Cristina, do Sindicato dos Professores – Sindiute ressaltou a importância da atuação do legislativo, executivo e judiciário no combate a violência. “A situação esta muito grave, professores têm seus carros roubados dentro das escolas, traficantes estão no comando, precisamos resolver esse problema através de políticas sociais”, pontuou.

A representante da Guarda Municipal, Cristiane Correia associa a violência dentro das escolas à realidade da periferia. “ Eles convivem diariamente com traficantes, com assaltantes, sem falar na questão da desigualdade social. É necessário portanto que as autoridades competentes contribuam tanto na parte ostensiva, como na preventiva”, frisou.

O professor Arlindo Araújo, representante da Secretaria Municipal de Educação ressaltou o papel do Município na implementação de políticas públicas que revertam esse quadro. “Sabemos da gravidade do problema e o que compete à Secretaria está sendo feito”, pontuou.

A representante do Distrito de Educação da Regional SER I, Sinara Mota pontuou sobre o seu trabalho na mediação dos conflitos vivenciados por alunos dentro das escolas. Sinara defende a mediação, como uma alternativa para minimizar os casos de violência. O promotor Francisco Elnatan destacou que a mediação não é a solução do problema, mas sim uma das saídas para resolver o problema.

O Vereador Gerôncio Coelho (PTdoB), pontuou sobre a importância da atuação em conjunto da gestão, professores, alunos e pais no combate a violência. O parlamentar João Alfredo apontou como alternativas de combate a violência, a criação de um serviço de inteligência da polícia nas escolas e a prática de atividades esportivas e ligadas à arte. O vereador também ficou de elaborar um relatório da audiência para encaminhar à Comissão de Educação da casa.

CMFor