Protesto pede ensino de libras

Com intuito de celebrar o Dia Nacional do Surdo, houve passeata pedindo apoio da Defensoria Pública em prol da causa

Fortaleza é quarta Capital do País com maior número de pessoas com completa deficiência auditiva, contabilizando 4.968 pessoas surdas. Para marcar o Dia Nacional do Surdo, comemorado ontem, uma passeata foi organizada para levar até a Defensoria Pública da União (DPU), no Ceará, um pedido de atuação da instituição junto ao Ministério da Educação (MEC), na luta da Comunidade Surda pelo ensino bilíngue nas escolas.

Aproximadamente 400 estudantes do Instituto Cearense de Educação de Surdos (Ices) e do Instituto Felippo Smaldonne entregaram o documento com a solicitação ao defensor público chefe da unidade, Sérgio Marques. “Vamos apreciar este documento com todo carinho e faremos o que estiver ao nosso alcance para que esta demanda seja atendida. Vamos promover outras reuniões. Nós nos sentimos lisonjeados em receber este movimento”, afirmou Marques.Conforme dados do Censo 2010, um total de 1.964 pessoas com este tipo de deficiência frequentando creche ou escola. A maior parte destes está na faixa etária que compreende dos dez aos 19 anos e dos 20 aos 39 anos.

Escolas

Esta camada populacional está em escolas públicas e privadas, que, muitas vezes, não têm estrutura específica para o aprendizado destes alunos, como cita a professora de português para surdos Dalva Holanda. “Hoje, a luta que existe é pelo ensino bilíngue de português e libras nas escolas, além do que a política nacional de inclusão prevê a inserção de surdos e ouvintes na mesma sala, porém nem sempre as escolas têm essa estrutura, de professores e tradutores”.

O vice-presidente da Federação nacional de Educação e Integração dos Surdos (Feneis) conta que este movimento está sendo realizado em todo o País e que o apoio das diferentes unidades da DPU é fundamental.

Em nota, a Secretaria Municipal de Educação (SME) esclarece que segue a Política Nacional de Inclusão está em processo de discussão com os representantes do movimento dos surdos em Fortaleza para avaliar a implementação de uma escola bilíngue na Capital.

A Secretaria da Educação do Estado (Seduc) informa que existem duas escolas de educação bilíngue, com ensino de libras. O Estado oferece escolas comuns no ensino fundamental e médio para alunos surdos e ouvintes.