Legislativo de Trairi elege prefeito interino

O novo gestor, José Luciano Moura, que teve apenas 86 votos na disputa por vaga na Câmara Municipal, na última eleição, tomou posse, ontem, como vereador. Em seguida, foi nomeado presidente da Casa e, por fim, prefeito FOTO: KID JUNIOR

Após uma semana sem gestor público, a cidade de Trairi, a 124 quilômetros da Capital, recebeu, ontem (24), o novo prefeito que assume interinamente. José Luciano Moura, que teve apenas 86 votos na disputa pela vaga na Câmara Municipal, nas últimas eleições, tomou posse como vereador, em seguida foi nomeado presidente da Casa Legislativa e, por fim, prefeito de Trairi.

A 1ª secretária da Câmara, Silsa Sales, renunciou e assumiu como vice-presidente e, logo depois, como presidente do Legislativo Municipal. Os vereadores Henrique Mauro Filho e Márcio Alves Ribeiros tomaram posse como 1º e 2º secretários da Câmara, respectivamente, após votação. Ocuparam vagas de vereadores José Nilson Moreira e Francisco Eronildo dos Santos.

No dia 19 de setembro, o prefeito de Trairi, Josimar Moura Aguiar, foi afastado do cargo. Além disso, dez pessoas foram presas suspeitas de formação de quadrilha e corrupção eleitoral, entre elas, a primeira-dama do Município, Sílvia Virgínia Aguiar e o filho do casal, Gustavo Viana Aguiar. Foram afastados também o presidente da Câmara, Antônio Barros Barbosa, o vereador Francisco Magno Magalhães, que é candidato a prefeito apoiado pela gestão municipal, o vice-prefeito do município, Francisco Flávio de Azevedo, e a vereadora Francisca Oneide Benevides.

Providências

O gestor municipal limitou-se a dizer que vai se inteirar da situação da Prefeitura de Trairi e, depois, tomar as providências cabíveis. Mas adiantou que vai mudar todo o secretariado do Município. “Amanhã (hoje), teremos uma reunião para definições”.

A população da cidade está revoltada e, ao mesmo tempo, em pânico desde o afastamento do prefeito. Trairi passou uma semana sem gestor e se transformou no caos. “Está um caso sério. Estamos entregues a Deus. Muita gente está com medo, e a revolta tomou conta da cidade”, afirma o pipoqueiro Everardo Delfino Ribeiro.

Os moradores informam que a saúde e a educação estão em decadência. Faltam médicos, profissionais da saúde e professores nas escolas por falta de pagamento, pois não tem quem assine a folha. De acordo com a população, a cidade passou a ser motivo de chacota em virtude dos últimos acontecimentos.

Para a comerciante Marineide Oliveira, Trairi está de luto. “Nunca vi uma situação como esta”, conclui, assustada. A doméstica Socorro Viana comenta que nada funciona no local, há uma semana. A população está esperançosa de que, pelo menos, o novo prefeito consiga estabelecer a ordem até a eleição.

Diário do Nordeste