Procura por curso de graduação a distância cresce em todo o Brasil

O número de alunos matriculados em cursos desta modalidade passaram de cinco mil para mais de 900 mil em dez anos. As áreas que oferecem mais vagas são educação, ciências sociais, negócios e direito.

Renata CapucciRio de Janeiro

A chance de estudar sem sair de casa está ajudando a qualificar milhares de brasileiros. Segundo dados do último Censo, nos últimos dez anos, o número de matrículas em cursos de graduação a distância passou de cinco mil pra 930 mil.

As vantagens de fazer este tipo de curso são muitas: comodidade, flexibilidade de horário, a facilidade do uso da internet. Por outro lado, é importante analisar alguns pontos antes de escolher a instituição. “É preciso olhar como o MEC avalia esse curso, se ele tem boa nota, se a faculdade nos cursos presenciais também é bem avaliada, porque aí ela sabe que o diploma vai ter um valor no mercado. Além disso, tem que analisar o currículo e ver se as disciplinas são interessantes e se são parecidas com as que boas instituições oferecem”, orienta a educadora Andréa Ramal.

Os cursos à distância também têm que oferecer pólos presenciais, ou seja, locais onde o estudante faz as provas e pode usar bibliotecas e laboratórios. O conteúdo do curso online deve ser o mesmo do presencial. Do lado do aluno, é fundamental ter disciplina para estudar em casa. “É o telefone que toca, o filho que chama, o cachorro. A pessoa vai ter que se preparar para que no momento do estudo nada disso tire o foco e ela realmente se dedique”, alerta a educadora.

Os alunos que escolhem esta modalidade de ensino são mais velhos do que os de cursos presenciais e têm, em média, 33 anos. As área que oferecem mais vagas são educação, ciências sociais, negócios e direito.

Jornal Hoje – G1