Brasil de desigualdades

Inauguração de prédios luxuosos no Brasil, em que cada morador possui seis vagas na garagem tornaram-se frequentes. Prédios em áreas nobres das cidades, onde a entrada de clientes em imobiliárias somente é facilitada pelo uso de roupas de grife, comprova preconceito e desigualdade existente no país.

Os investimentos mínimos dos governos em educação e qualificação profissional, ao mesmo tempo, os avanços em tecnologias proporcionam milhares de desempregados ou subempregados. Em quanto o governo federal tem meta de investir 5% do PIB em educação, a Coréia do Sul ,por exemplo, investiu, por uma década, 10% do PIB.A falta de qualificação profissional acaba gerando outro problema grave, a desigualdade salarial.Os poucos brasileiros qualificados para o trabalho recebem salários bastante superior a maioria dos brasileiros, agravando ainda mais a concentração de renda.

Os governos reduzem os altos índices de desigualdades ofertando mais vagas de cursos tecnológicos, descentralizando os polos industriais do sul e sudeste, além de desenvolver medidas específicas para combater os baixos índices de desenvolvimento e os altos índices de concentração de renda. Essas medidas junto com uma política de combate a corrupção podem amenizar desigualdades e proporcionar maior qualidade de vida .

Cessiano Souza

cessiano@hotmail.com

O Povo