PIB no Ceará cresce cinco vezes mais que no Brasil

O aumento do PIB cearense está relacionado, principalmente, ao setores de serviços e comércio. A agropecuária teve queda acentuada. A expectativa é que o número suba para cerca de 4,5% neste segundo semestre

O Produto Interno Bruto (PIB) cearense cresceu 2,9% no primeiro semestre de 2012, em relação ao mesmo período de 2011, cerca de cinco vezes mais que a economia brasileira, que cresceu 0,6%. Os dados foram apresentados pela Secretaria do Planejamento e Gestão (Seplag), por meio do Instituto de Pesquisa e Estatística (Ipece).

Esse crescimento favorável em relação ao Brasil está relacionado, principalmente, ao setor de serviços, que representa 70% da economia cearense e cresceu 5,8% no primeiro semestre. Nesse setor, os destaques vão para o comércio, que cresceu 6,5%, e para as atividades ligadas ao turismo, bem como alojamento e alimentação, com 8,4% e transportes, com 10,7%.

O setor industrial teve bom desempenho, crescendo 2,2%. Esse aumento está relacionado, principalmente, à eletricidade, gás e água.

De acordo com o secretário do Seplag, Eduardo Diogo, esse aumento favorável deve, em grande parte, ao investimento de R$ 9,6 bilhões feito pelo Governo do Estado nos últimos cinco anos, destacando a parceria do Estado com o setor produtivo. “Estamos em um bom momento. Para o turismo, por exemplo, a inauguração do Centro de Eventos do Ceará vai impulsionar, mais ainda, a economia”.

Desses R$ 9,6 bilhões, R$ 592 milhões foram investidos no primeiro semestre deste ano, sendo um quarto destinado à educação.

Queda

O setor de agropecuária, no entanto, teve uma queda de 31,6% no Ceará. No Brasil esse declínio foi de 3%. Esse setor representa 5% da economia cearense e a sua queda está relacionada à falta de chuvas no Estado. A fruticultura, atividade mantida com a irrigação, se manteve forte e vem se desenvolvendo, juntamente com a castanha de caju.

A queda deu por consequência a diminuição de 1.151 postos de trabalho no setor. “Apesar de uma queda considerável, o setor representa uma pequena parcela não comprometendo muito a economia. Esperamos que essa situação se reverta”. Eloísa Bezerra, analista do Ipece, explica que a queda aconteceu porque 150 municípios do Ceará estão localizados em regiões de semiárido.

A expectativa é que no segundo semestre haja um aumento de 4,5% no PIB cearense, estimulado pelas datas comemorativas, 13º salário, eleições, e a prorrogação da redução do Imposto sobre Produto Sobre Produtos Industrializados (IPI). “As eleições geram empregos. Essas pessoas passam a comprar mais, movimentando o comércio, um dos pilares da nossa economia”, disse Eduardo Diogo.

Como

 

ENTENDA A NOTÍCIA

No segundo trimestre de 2012, o PIB brasileiro alcançou o montante de R$ 1.101,6 bilhões, sendo R$ 938,2 bilhões de Valor Adicional e R$ 163,3 bilhões de Impostos Sobre Produtos Líquidos de Subsídios.

SERVIÇO

O estudo completo pode ser acessado:

Onde: http://www.ipece.ce.gov.br

Saiba mais

Exportações e importações

O Ceará exportou US$ 614,6 milhões no primeiro semestre de 2012, representando o crescimento de 0,69% em relação ao mesmo período de 2011, superando a média nacional, que registrou queda de 0,92% .

O Ceará se posicionou na 4º posição em valor de exportação dos estados do Nordeste.

As importações cresceram 22,41% em relação a 2011, sendo US$ 1.150 milhão investidos em produtos de fora.

Liane Braga

O Povo