Projeto quer inspirar inovações em educação no Brasil

Por Vagner de Alencar, do *Redação na Rua

Projeto Educ-Ação percorrerá 12 escolas do mundo; jornada será transformada em obra lançada livremente na internet em 2013.

Quatro brasileiros e um desejo em comum: mapear e trazer à luz iniciativas transformadoras ao redor do mundo que inspirem novas formas de ensinar. Para clarear este caminho, o grupo decidiu então realizar uma jornada por 5 continentes para conhecer diferentes experiências. O tour já está acontecendo e, até o final do ano, 12 escolas serão visitadas. O resultado da jornada será publicado em um livro totalmente gratuito e livre na internet para inspirar pais inquietos, jovens curiosos e novos empreendedores em educação.

Um grupo de ativistas-educadores-deseducadores, como se intitulam, criou o Educ-Ação, uma iniciativa sem fins lucrativos que nasceu do encontro entre Eduardo Shimaraha, diretor de inovação e sustentabilidade do Anima Educação, o jornalista André Gravatá e as pesquisadoras Camila Piza e Carla Mayumi.

A jornada já pode ser acompanhada no blog do projeto, onde eles estão compartilhando as primeiras impressões dessa vivência. A ideia é apresentar histórias humanas, por trás das escolas, que possam inspirar e ajudar a repensar os modelos de ensino no Brasil. “A proposta sempre foi trazer uma perspectivamulti. Não ouvir só escolas, mas também estudantes, ex-estudantes, pais e pessoas da fundação. Queríamos dar uma perspectiva bem 360o”, afirma Carla Mayumi, pesquisadora da Box1824.

A equipe mapeou cerca 100 iniciativas inovadoras ao redor do mundo, escolas formais e informais e elegeu 12. A ideia é visitar todas as escolas até o fim do ano, tempo necessário para lançar o livro no início de 2013. “Ao invés de ir atrás de editora, queremos que qualquer pessoa possa baixá-lo para dar mais acesso e chegar ao maior número de pessoas possível”, afirma Carla. Uma das inquietações que a movem neste projeto vem da educação dos seus filhos. “Tenho um filho adolescente e uma filha de 3 anos, o que vai se tornando uma decisão séria sobre o que vão estudar e de qual forma, já que isso tem reflexo na vida toda. É preciso saber que existem outros formatos, que não estão em prática no Brasil”, diz.

Em viagem

Recém-chegado da Europa, o jornalista Gravatá entrevistou mais de 50 pessoas durante as três semanas que passou em três países europeus. Conheceu oito escolas e projetos dos quais três terão destaque no livro. A primeira delas é Team Academy, na Espanha (já retratada aqui no Porvir), uma iniciativa com foco em fomentar o empreendedorismo nos jovens. Já na Suécia, o jornalista visitou a YIP (Youth Initiative Program), um projeto voltado a jovens de 19 a 25 anos que, durante 10 meses, vivem e desenvolvem experiências em que exploram aspectos pessoais (conhecendo melhor a si mesmos) e sociais (por meio de intercâmbios em outros países, atuando como voluntários).

A última parada de Gravatá foi na  Inglaterra, onde conheceu o Schumacher College. Segundo ele, a instituição tem uma visão de educação conectada com a natureza e uma das questões mais intensas é o conhecimento valorizado de uma maneira mais abrangente. “Um dos pontos mais interessantes é que na Schumacher não é trabalhado apenas o raciocínio lógico. A outra característica é que professores e alunos vêm do mundo inteiro, atuando em vários campos do conhecimento. E não só os estudantes, como as pessoas da organização, precisam cuidar da escola de forma prática, lavando banheiro e fazendo comida”, afirma.

Atualmente, Gravatá desenvolve um projeto com escolas públicas de um jogo que tenta motivar o empreendedorismo e protagonismo nos jovens e no ano passado organizou o TEDxJovem@Ibira. “Educação é um tema que sempre teve muita importância para mim, quero continuar me dedicando e participar deste projeto é umas das formas, escrevendo este livro com estes parceiros”, afirma.

Parcerias

A largada do projeto se deu por meio de uma doação anônima. O recurso foi fundamental para as primeiras viagens já realizadas pelo grupo. Mas para prosseguir com a jornada, o quarteto vai lançar, na próxima semana, um vídeo na plataforma de financiamento coletivo Catarse para ajudar nos custos da edição, do blog e as despesas de viagens.

Os próximos passos são ainda buscar apoios de institutos e fundações desde networking à troca de conteúdos. O Porvir vai acompanhar de perto o projeto, numa parceria baseada na troca de conteúdo. Vamos publicar textos construídos em conjunto com o quarteto, apresentando algumas das iniciativas que eles encontrarem no caminho e contaremos também com artigos pessoais onde os autores vão nos adiantar algumas das impressões e emoções vividas na jornada. “O Porvir vai nos ajudar a qualificar o conteúdo do blog e mantê-lo alimentado e nós também ajudaremos a mapear novos modelos inspiradores para o site. Temos a mesma linha de pensamento, buscamos conteúdos propositivos e inovadores”, diz Carla.

Fazem parte do Redação na Rua os sites Catraca LivreGuia de EmpregosPortal AprendizPorvirVilaMundo.