Adufc acata petição e decide realizar nova assembleia

Professores da UFC e Unilab assinaram petição que foi entregue ao Adufc. Sindicato acatou pedido de nova assembleia e, na próxima segunda-feira, informa data e local do encontro da categoria-ANDRÉ SALGADO

O Sindicato dos Docentes das Universidades Federais do Ceará (Adufc) decidiu convocar uma nova assembleia geral extraordinária dos professores para debater o futuro da greve da categoria. A diretoria do sindicato acatou a petição – com a assinatura de mais de 500 professores – que questiona o resultado da assembleia geral realizada dia 22 de agosto, que pôs fim à greve da categoria.

A decisão foi divulgada em nota assinada pela diretoria da Adufc no fim da tarde de ontem. Na próxima segunda-feira (3), às 15 horas, na sede do sindicato, será realizada coletiva para informar a data da assembleia e a pauta a ser discutida. Como é necessário respeitar um prazo de 48 horas para convocar a reunião, é provável que a assembleia só seja realizada a partir de quinta-feira, 6.

O professor do curso de Jornalismo da UFC no Cariri, Tiago Coutinho, afirma acreditar que a pauta discuta os pontos levantados na petição. Nesse caso, seriam debatidas a avaliação da greve da UFC e Unilab; a análise da condução da assembleia realizada no dia 22 de agosto; e os encaminhamentos.

A avaliação do grupo de professores críticos às decisões da diretoria do sindicato é de que a convocação da assembleia é resultado da pressão feita pela categoria. “É uma vitória da nossa mobilização. A gente espera que seja uma boa assembleia”, comenta Coutinho.

A professora do curso de Geografia da UFC, Maria do Céu de Lima, estranha a demora na convocação da assembleia. “O que motiva não anunciar logo (a data da assembleia)? É preciso uma coletiva para fazer isso? A diretoria usa de subterfúgios para não anunciar com clareza os prazos”, critica. Para ela, isso gera “insatisfação, angústia e insegurança na categoria”.

O reitor da UFC, Jesualdo Farias, informa que a universidade vai novamente adiar as discussões sobre o calendário universitário até o dia em que for marcada a assembleia. Depois disso, será rediscutida a data para o início das reuniões do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (Cepe).

Um grupo de professores também protocolou, no fim da tarde de ontem, uma petição no Ministério Público do Trabalho (MPT) pedindo que o órgão acompanhe o desenrolar das próximas decisões.

O quê

ENTENDA A NOTÍCIA

O Sindicato dos Docentes das Universidades Federais do Ceará (Adufc) acatou a petição feita por professores e decidiu realizar uma nova assembleia da categoria para definir os rumos da paralisação dos docentes.

Serviço

A nota da Adufc pode ser acessada no site:

http://www.adufc.org.br/ 

Saiba mais

Dia 22 de agosto

Durante a assembleia dos docentes, foi incluída a discussão da continuidade ou interrupção da greve dos professores das universidades federais do Ceará. A oposição à atual gestão da diretoria da Adufc considerou o ato um “golpe”, pois o ponto de pauta não foi incluído com 48 horas de antecedência.

Dia 23 de agosto

Um grupo de professores e alunos protestou em frente ao sindicato e entregou uma petição pedindo uma nova assembleia.

Dia 27 de agosto

A Adufc rejeita a petição dos professores, alegando que a coleta de assinaturas foi realizada online.

Dia 30 de agosto

Uma nova petição, com mais de 500 assinaturas coletadas presencialmente, foi protocolada na Adufc. Professores discordantes do andamento das decisões da diretoria realizam uma assembleia extraoficial na reitoria da UFC.

Geimison Maia

O Povo