lei absurda

A presidente Dilma Rousseff sancionou, nesta quarta-feira, uma lei absurda que provocará mais ainda a desqualifação de profissionais brasileiros, para compensar um erro do passado quando a raça negra era descriminada e vivia em regime de escravidão. Será beneficiado, também, com esta lei de reserva de cotas nas universidades federais, os alunos oriundos de escolas públicas e índios. Metade das 240.000 vagas mantidas nas federais não serão mais ocupadas quanto ao mérito acadêmico dos candidatos, mas sim a cor, a raça e a escola que frequentou.
Dados mais recentes do IDEB demonstraram que a qualidade de ensino das escolas públicas está péssima e que há uma distância muito grande do nível da escolas particulares . Enquanto a rede pública atingiu a média de 3.4 , na rede privada a nota foi de 5.7. A solução do problema de nossa educação não é a sanção de lei de cotas, é a melhora da qualidade do ensino fundamental como também do médio. Um estudante de escola particular aprende a ler aos 5 anos de idade, já o das escolas públicas muitas vezes aos 12 anos não sabe ler. 
Não é justo para um aluno de qualidade, que sempre foi dedicado aos estudos ver 50% das vagas disponíveis estarem fora de seu alcance de disputa. Isto também é uma forma de descriminação com as pessoas que tenham condições de pagar uma boa escola. Quem não tem histórico de bom aluno jamais passará em uma Universidade Federal, por isto o nosso PaÍs está repleto de universidades particulares.
Além da melhora da qualidade de ensino, os professores também devem ser valorizados com bons salários para que não vivam em greve lutando por seus direitos. A escola deve também ter período integral para as crianças se alimentarem, praticarem esporte e terem reforço se houver alguma dificuldade de assimilação. O turno integral tirará os nossos jovens das ruas.
Outro empecilho para o acesso de pessoas de baixa renda nas federais é a questão do turno. Deveria ser oferecido a maioria dos cursos durante a noite para que o universitário de baixa renda tenha condições de trabalhar.
Agora, seremos o País que o conhecimento será medido pela cor, raça e poder aquisitivo.

O Estado – CE