Acaba greve do servidores das universidades federais

A greve dos servidores das universidades federais acabou. De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores das Universidades Federais no Estado do Ceará (Sintufce), 3,6 mil trabalhadores distribuídos na UFC e Unilab voltaram ao trabalho nesta terça-feira, 28, após 66 dias de paralisação. A categoria conseguiu um reajuste nos rendimentos de 15,75%, parcelados em três vezes até 2015.

Conforme o coordenador geral do sindicato, Gerson Morais, o governo reservou uma quantia de R$ 2,9 bilhões no orçamento para cobrir despesas com o reajuste salarial, capacitação de servidores e incentivo de qualificação de carreira. Segundo ele, alguns servidores terão nos próximos três anos um acréscimo de até 75% no salário-base. “Nós temos o pior rendimento dentre os servidores federais. Se somarmos os 15,75% com o adicional de mestrado, doutorado, tempo de serviço, isso poderá acontecer. Além do mais porque aumentamos o step (diferença padrão entre vencimentos). Nesse caso, para quem está no fim da tabela haverá uma elevação de 35% a 40% até 2015”, explicou.

Reivindicações continuam

Mesmo com as conquistas, o Sintufce não saiu completamente satisfeito das discussões. De acordo com o coordenador geral do sindicato, ainda restam outros pontos a serem discutidos. “O governo simplesmente pegou a projeção do PIB para próximos anos. Nós ainda temos perdas de 2010 que precisam ser renegociadas. Foi criada uma mesa permanente de negociação para discutir isso, bem como, outras reivindicações como vale-alimentação, reposição de aposentados”, afirmou Gerson.

Segundo ele, todos esses aspectos devem ser discutidos, inclusive, a necessidade de se realizar mais concurso. “Temos um déficit de 1,5 mil servidores. Muitos cargos foram extintos e outros que existem são ocupados por terceirizados”, disse.

Diário do Nordeste

Ilo Santiago Jr.