13º e folha salarial do INSS liberam R$ 1,3 bi

Somente da primeira parcela do 13º salário, serão pagos mais de um milhão de benefícios, somando R$ 384,6 mi

O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) iniciou ontem o pagamento da primeira parcela do 13º salário. A quantia será paga junto com os benefícios da folha de pagamento de agosto, que foi iniciada ontem (27) e prossegue até o dia 10 de setembro. No Ceará, o pagamento dos benefícios do INSS neste mês injetará R$ 1,3 bilhão na economia do Estado, resultado da soma do valor mensal da folha à primeira parcela do 13º. Serão pagos no Estado 1,3 milhão de benefícios, no valor total de R$ 918,5 milhões. Já a quantidade de benefícios emitidos relativos à primeira parte do 13º salário é de pouco mais de 1 milhão, somando R$ 384,6 milhões.


Para o Sindilojas, o varejo se beneficia mais da antecipação do 13º aos segurados do INSs, do que no caso do desembolso para pensionistas FOTO: HONÓRIO BARBOSA

Para o presidente do Sindicato do Comércio Varejista e Lojista da Capital (Sindilojas), Cid Alves, a antecipação do 13º salário para os beneficiários do INSS tem um impacto maior no comércio local que a antecipação para outras categorias, como funcionários de prefeituras ou do governo. Isso porque o número de pensionistas é maior.

“O varejo se beneficia muito mais do 13º salário do INSS, pois existem mais pensionistas que realmente vão às compras. Na maioria das vezes, o pensionista tem a sua renda e tem esta outra remuneração, que é uma remuneração adicional. Esse é um público que realmente vai às compras. Por isso, acredito que o varejo irá aproveitar melhor o 13º do INSS”, destaca Cid Alves.

Conforme o presidente do Sindilojas, um fator deve contribuir para que os beneficiários do INSS sintam-se mais dispostos a aplicarem a renda extra em compras é a redução do índice de inadimplência. “Nos últimos dois meses, este índice vem caindo”, enfatiza.

Calendário

Pelo calendário do INSS, os primeiros a receberem os depósitos são os segurados que recebem até um salário mínimo e possuem cartão com final 1, desconsiderando-se o dígito. Para quem recebe acima do mínimo, o crédito começa a ser liberado a partir do dia 3 de setembro.

Os segurados do INSS podem conferir o extrato mensal de pagamento na internet, na página do Ministério da Previdência Social (link: http://www3.dataprev.gov.br/cws/contexto/hiscre/index.html). Em caso de dúvidas, os beneficiários podem entrar em contato coma Central de Atendimento, pelo número 135.

Aposentados e pensionistas, em sua maioria, receberão 50% do valor do benefício. A exceção é para quem passou a receber o benefício depois de janeiro. Neste caso, o valor será calculado proporcionalmente. Os segurados que estão em auxílio-doença também recebem uma parcela menor que os 50%. Como esse benefício é temporário, o INSS calcula a antecipação proporcional ao período. Nesta data, o INSS libera o pagamento para quem tem cartão com final 1 e 6, desconsiderando-se o dígito. Não haverá desconto de Imposto de Renda nesta primeira parcela do 13º salário. O IR só será cobrado na segunda parcela. Esta é a sexta vez que a Previdência paga antecipadamente uma parcela dessa gratificação.

Brasil

Em todo o País, serão pagos neste mês R$ 37,3 bilhões, sendo que R$ 11,3 bilhões são referentes ao 13º salário e R$ 25,9 bilhões são da folha deste mês, que será paga até o dia 10 de setembro. Ao todo, são 25,3 milhões de benefícios emitidos relativos à primeira parte do abono. Em agosto, a folha vai pagar 29,6 milhões de benefícios.

OPINIÃO
Guardar o dinheiro extra é a melhor opção

O aposentado hoje não é mais aquele cidadão livre que se aposentou e que flutua no tempo e no espaço. Hoje, o aposentado tornou-se praticamente o arrimo de família. Então, acredito que essa primeira parcela do 13º salário seja aplicada para pagar alguma coisa em atraso, pagar a escola dos netos, suprir despesas extras.

Nós aconselhamos que façam um uso consciente deste dinheiro, que, quem puder, guarde este dinheiro para pagar seus compromissos de fim de ano. Nós sempre defendemos o pagamento do 13º de uma só vez, não parcelado, pois sabemos que guardar dinheiro é difícil, ainda mais quando é pouco e parcelado.

O governo não está querendo nem pagar a inflação para os aposentados. Além disso, pesquisas mostram que nunca os idosos do Brasil estiveram tão endividados quanto agora. A facilidade de crédito, os juros relativamente baixos e a falta de orientação contribuem para que muitos aposentados façam empréstimos descontados em folha por até cinco anos. Isso pode ser uma vantagem boa, mas deixa marcas no orçamento dos aposentados. Por isso, alertamos para que não façam empréstimos desnecessários e que se esforcem para guardar dinheiro.

Wilson novaes, secretário da União dos Aposentados e Pensionistas do Brasil (Unapeb)

Diário do Nordeste