UFC cai em ranking das 200 melhores universidades

A Universidade Federal do Ceará (UFC) desceu oito posições. Em 2011, estava em 76ª. Este ano, caiu para 84ª. Entre as 25 melhores universidades, nove são brasileiras, sendo a Universidade de São Paulo (USP) a primeira

A Universidade Federal do Ceará (UFC) caiu oito posições no ranking das 200 melhores universidades da América Latina. No ano passado, ocupava o 76º lugar. Este ano, desceu para a 84ª colocação. A Universidade Estadual do Ceará (Uece) não apareceu entre as 200 melhores. 

Embora tenha sofrido queda, a pontuação da UFC subiu de 39,5 para 44,6 pontos em relação a 2011, tendência seguida pelas outras universidades avaliadas. Os dados são da pesquisa do grupo britânico Quacquarelli Symonds, responsável por uma das principais classificações universitárias, a Top Universities.

O desempenho foi recebido pelo reitor da UFC, Jesualdo Farias, como “natural”. Para ele, o momento na universidade é de transição, considerando que cerca de 30 novos cursos de graduação, 20 de doutorado e 15 de mestrado estão em fase de implantação. “Não tem por que se preocupar. Acho até que, comparando com o ano passado, deveríamos estar acima do que foi pontuado. A estruturação da universidade para ser vista do ponto de vista de avaliação ainda não está pronta”, avalia.

A expectativa do reitor é de que a UFC melhore no ranking latino, subindo para as 30 ou 40 primeiras posições, quando a expansão estiver plenamente estruturada, daqui a quatro ou cinco anos. Com as implementações, a UFC “terá potencial para estar entre as dez melhores do Brasil”, prevê Jesualdo.

Para Anízio Melo, presidente do Sindicato de Professores e Servidores (Apeoc), a queda tem de ser encarada como um alerta. Anízio avalia que o próximo passo deve ser a verificação dos motivos para a queda.

Uma das soluções apontadas pelo presidente do Apeoc para a “garantia da excelência” é a intensificação de investimentos nas universidades públicas. “Entendemos que há um processo positivo de investimento no que tange ao aumento do parque escolar, um maior número de universidades e de matrículas, o acesso maior de alunos oriundos de escolas públicas. Mas isso tudo precisa permanecer e o estado brasileiro deve continuar injetando mais recursos na educação como um todo”, disse. Anízio defendeu ainda a necessidade de o estado brasileiro investir o mínimo de 10% do Produto Interno Bruto (PIB) na educação.

Universidades brasileiras

Entre as 25 melhores universidades da América Latina, nove são brasileiras. A Universidade de São Paulo (USP) ocupa o 1º lugar. Em 3º, vem a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

Na 8ª colocação, está a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Os 13º, 14º e 15º lugar foram ocupados, respectivamente, por Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Além do Brasil, nas 25 primeiras colocações aparecem quatro países: México (5), Chile (4), Argentina (4) e Colômbia (3).

ENTENDA A NOTÍCIA

A Universidade Federal do Ceará está presente em Fortaleza, Sobral, Cariri e Quixadá. As últimas estatísticas da UFC, de 2010, apontam 2.005 docentes, 24.634 matriculados, 349 grupos de pesquisa, 1.873 artigos publicados em periódicos e 386 projetos de extensão.

Ranking

10 primeiras colocadas na lista

1ª – Universidade de São Paulo (USP)

2ª – Pontificia Universidade Católica do Chile

3ª – Universidade Estadual de Campinas (Unicamp)

4ª – Universidade do Chile

5ª – Universidade Nacional Autônoma do México (UNAM)

6ª – Universidade dos Andes

7ª – Tecnológico de Monterrey (ITESM)

8ª – Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

9ª – Universidade de Concepção

10ª – Universidade de Santiago do Chile (USACH)

84ª – Universidade Federal do Ceará (UFC)

Saiba mais

Critérios

Para a avaliação do desempenho das universidades da América Latina, o grupo britânico QS considerou os seguintes critérios para a elaboração do ranking:

1. Reputação acadêmica da universidade e de seus funcionários;

2. Número de trabalhos publicados por docente;

3. Número de trabalhos da universidade citados;

4. O tamanho da universidade, além do número de estudantes que recebe;

5. A relevância e o impacto da universidade nas pesquisas feitas na Internet;

6. Docentes com PhD.

UFC

No primeiro critério, o que analisou a reputação acadêmica da UFC e dos funcionários, a universidade atingiu 15,8 pontos, ocupando posição superior à 150ª.

Na pontuação que avaliou o tamanho da UFC e o número de estudantes que recebe, a instituição teve 62,1 pontos, atingindo a 86ª colocação.

O número de trabalhos publicados por docente levou a UFC à 26ª posição com 82,4 pontos. Os trabalhos citados pela UFC garantiram a 80ª posição, com 53,7 pontos.

A respeito da relevância nas pesquisas da web, a UFC ocupou 54º lugar, atingindo 82 pontos.

Sobre a quantidade de docentes com PhD, a UFC foi classificada na 32ª posição, com 94,9 pontos

Juliana Diógenes
O Povo