Os números do Ideb

Será que os estudantes estão encerrando os ciclos com o conhecimento que deveriam ter nas suas respectivas séries? Será que eles possuem algum domínio em Conhecimentos Gerais? Como informações básicas do nosso dia-a-dia?

O CENÁRIO NACIONAL

EDUCAÇÃO

No dia 14 de agosto, o Ministério da Educação (MEC) divulgou os resultados do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica(Ideb). Apesar de algumas metas atingidas, os resultados apontaram algumas defasagens no ensino do país, com destaque, na queda da qualidade do ensino médio em nove estados brasileiros, entre eles, o Distrito Federal.

No Ideb, os fatores considerados são: o aprendizado e o fluxo escolar, número de aprovações. Mas será que os estudantes estão finalizando os ciclos com o conhecimento que deveriam ter em suas respectivas séries? Será que eles possuem algum domínio em conhecimentos gerais? Como informações básicas do nosso dia-a-dia? Um exemplo simples? Quem é o atual vice-presidente da República? Qual o significado da sigla PIB? Ou até mesmo, quem foi Tiradentes?

O próprio índice responde a esta pergunta, no ensino fundamental, etapa de 1ª a 4ª série, o país saltou da nota 4,6 para 5. No ciclo 2 do fundamental (5ª a 8ªséries) 44% das escolas publicas não atingiram as metas, houve aumento no número de aprovações e a proficiência dos estudantes aumentou somente 0,22. Apesar destes indicadores, o ciclo final do fundamental aumentou a média de 3,7 para 3,9, ultrapassando a meta estipulada. No ensino médio, dez Estados, entre eles Paraná, Rio Grande do Sul, Bahia e Distrito Federal, apresentaram indicies inferiores a 2009.

Analisando estes resultados mais a fundo, é possível concluir que a educação no país está precisando ser reformulada. Atualmente, lidamos com uma geração imediatista e acelerada devido ao advento dos avanços tecnológicos, como os smartphones, tablets, notebooks, entre outros, que requer uma nova forma de ensino. Os educadores precisam se atualizar e transformar as ferramentas tecnológicas em aliadas à educação, como um chamariz para os jovens se dedicarem aos estudos.

Uma forma rápida de ensino agregado com conhecimentos gerais é a internet, pois nela, devidamente aplicada conseguimos equalizar o padrão de ensino por todo o país. Os governantes precisam se conscientizar que esta ferramenta fácil pode contribuir significantemente para o desenvolvimento da educação nacional.

Varlei Ramos

O Povo