Grupo de professores acusa Adufc de golpe; diretoria do sindicato nega

Um grupo de professores de universidades federais do Ceará contestam o resultado da assembleia realizada nesta quarta-feira, 22, que teve como desfecho o fim da greve. O grupo acusa o Sindicato dos Docentes da Universidades Federais do Ceará (Adufc Sindicato) de ter realizado um golpe. Em contrapartida, a diretoria do sindicato nega que isto tenha ocorrido.

Segundo o professor Tiago Coutinho, do grupo de oposição, a diretoria do sindicato havia afirmado anteriormente que a greve só poderia terminar por meio de um plebiscito, que foi realizado na última semana, quando ficou decidida a continuidade da greve.

No entanto, de acordo com ele, a diretoria teria convocado uma assembleia para esta terça-feira e somente depois teria dito que o momento era de votação. “Eles mudaram o discurso”, disse o professor. 

A ocasião foi solicitada para ser votada a contraproposta de reestruturação da carreira docente e de reajuste salarial, mas acabou decidindo também pela discussão sobre a greve, depois de aprovação por 153 votos contra 141 do encaminhamento de um dos professores.

Em conversa com o O POVO Online, o vice-presidente do Adufc, professor Ricardo Thé, foi incisivo: “em nenhum momento, a diretoria fez um movimento de golpe”, disse. Segundo ele, o plebiscito apenas deflagra a greve. A diretoria, segundo Ricardo, não descumpriu o que prevê o estatuto. “Estamos tranquilos em relação a isto”.

Ricardo adiantou que nesta tarde será enviado um ofício para a Universidade sobre o término da greve da categoria. Ele disse ainda que todos os dias de aula perdidos pelos alunos serão repostos.

Camila Holanda
camilaholanda@opovo.com.br

O Povo