Audiência debate política de patrocínio para incentivar cultura negra

A Comissão de Educação e Cultura discute hoje a implementação de política de patrocínio para incentivar a cultura e as artes negras com a ministra da Cultura, Anna de Holanda; a ministra da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, Luiza de Bairros; e a ministra-chefe da Secretária de Comunicação Social da Presidência da República, Helena Chagas.

O debate deverá focar o patrocínio por meio de linhas de financiamento, que, na opinião do Luiz Alberto (PT-BA), autor do requerimento para a realização da audiência, devem servir para democratizar e dar mais transparência a diversidade étnica e cultural do País.

De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mais de 52% da população brasileira é de negros, incluindo pardos e mulatos.

Na opinião da Fátima Bezerra (PT-RN), que também apoiou o debate, as políticas de incentivo cultural e de patrocínio servem para formar e consolidar grupos e companhias de arte negra, indígena ou cigana.

Segundo o deputado Chico Alencar (Psol-RJ), que também assinou o pedido para realização da audiência, a comissão julgadora de política de patrocínio deveria ser composta de, pelo menos, 30% de especialistas afro-brasileiros – artistas, intelectuais, acadêmicos ou profissionais – com conhecimento das questões relativas à cultura, história, tradição e diversidade das populações negras, e de outros segmentos étnicos do País.

A realização a audiência também recebeu o apoio dos deputados Waldenor Pereira (PT-BA), Jean Wyllys (Psol-RJ), Paulo Rubem Santiago (PDT-PE) e Edson Santos (PT-RJ).

Convidados
Além das ministras, foram convidados para discutir o assunto:
– o presidente da Caixa Econômica Federal (CEF), Jorge Fontes Hereda;
– o presidente da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT), Wagner Pinheiro de Oliveira;
– o gerente-executivo da Diretoria Marketing do Banco do Brasil (BB), José Avelar Matias Lopes;
– o diretor-presidente da Eletrobrás, José da Costa Carvalho Neto;
– a presidente da Petrobras, Maria das Graças Foster;
– o diretor da Cia dos Comuns (companhia de teatro negro) José Hilton Santos Almeida;
– a makota do Terreiro Tanuri Junçara, Valdina Oliveira Pinto; e o
– o cineasta e diretor da Casa de Criação Cinema, Joel Zito Araújo.

O debate será realizado no Plenário 10, a partir das 14 horas.

Da Redação/ND
Agência Câmara