“Queremos mudar a atual lógica da gestão”

Laura Raquel
Da Redação

“O PSTU não se apresenta somente nas eleições, mas nas lutas diárias dos trabalhadores. Queremos mudar a lógica da atual administração”. Foi assim que o candidato do PSTU à Prefeitura de Fortaleza, Francisco Gonzaga, iniciou, ontem, na Câmara Municipal de Fortaleza, a apresentação do seu plano de governo.

De acordo com o socialista, antes de pôr em prática suas propostas, irá desbloquear 35% do Orçamento municipal comprometidos com terceirização. Ele apontou, ainda, que 75 mil famílias não possuem moradia. “A atual administração só tem projeto para os empresários e não para os trabalhadores”, salientou, acrescentando que, para o PSTU, Prefeitura e trabalhadores devem trabalhar juntos.

Na educação, caso eleito, Gonzaga prometeu implantar a carga horária para planejamento educacional, determinado pela Lei do Piso Salarial dos Professores. Apontando, porém, que nas gestões, anteriores e atual, os professores foram atacados, enquanto reivindicava melhorias salariais.

Em relação à saúde, o socialista explicou que, atualmente, Fortaleza possui quatro mil unidades de saúde, incluindo público e privada, mas, apenas 5% são da rede pública de saúde. Se eleito, irá investir em saneamento básico, porque, diretamente, é um problema que influencia na saúde. O que, segundo ele, irá trazer oportunidade de geração de emprego e renda.

GUARDA MUNICIPAL
Francisco Gonzaga disse, ainda, que não pretende armar a Guarda Municipal. A proposta, segundo ele, não é gerar mais violência, mas valoriza o diálogo do Poder Público com a sociedade. Conforme ressaltou, o trabalho precisa ser preventivo.

Outra sugestão apresentada pelo candidato foi à implantação do passe livre para estudantes e desempregados. Segundo informou, a Prefeitura gasta cerca de R$ 2 milhões por mês com os empresários, enquanto a solução, conforme ele, é revitalizar a Companhia de Transporte Coletivo (CTC).

Questionado, se caso eleito, irá fomentar o empreendedorismo, Gonzaga disse que, ao defender a governabilidade com os trabalhadores, está falando de dar oportunidade dos assalariados empreenderem.

Ao finalizar, o candidato disse que, embora possua pouco tempo disponível no horário eleitoral gratuito de rádio e televisão, irá ceder espaço aos trabalhadores para que possam responder aos ataques sofridos pelo atual governo, referindo se a greve do funcionalismo público.

O Estado – CE