OPINIÃO: 10% AINDA É POUCO

Em artigo na seção Tendências e Debates, Ivan Valente afirma que os R$ 450 bilhões a mais que devem ser aportados à Educação em dez anos estão muito distantes do que o governo gastará no mesmo período com o pagamento de juros da dívida pública

Fonte: Folha de S.Paulo (SP)

*Ivan Valente.

Depois de 18 meses de tramitação, a Comissão Especial do Plano Nacional de Educação na Câmara concluiu a votação do novo Plano Nacional de Educação.

O texto, que ainda precisa passar pelo Senado, estabelece 20 metas que o país deve atingir no prazo de dez anos. Entre elas: fim do Analfabetismo, aumento do atendimento em Creches, Ensino em tempo integral em ao menos 50% das Escolas públicas e o crescimento da fatia da população com Ensino superior.

Ao longo de todo o debate na Câmara, no entanto, o maior embate foi sobre o aumento dos recursos para a Educação. Atualmente, União, Estados e municípios aplicam, juntos, cerca de 5% do PIB no setor. De acordo com a proposta inicial do governo, a meta de financiamento do PNE seria de 7% do PIB em dez anos.

Acesso à íntegra

O Grupo Folha não autoriza a publica na íntegra do conteúdo produzido pelo jornal Folha de S.Paulo