Governo e servidores estaduais discutem plano de previdência complementar

Também está sendo discutida entre Governo e servidores a implantação de um plano de previdência complementar. A adesão deve ser opcional para os novos servidores, já que a contribuição é de 30 anos para mulheres e 35 para homens, com contribuição entre 8% e 10% dos rendimentos, de acordo com Rita Galvão, diretora do Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público Estadual do Ceará (Mova-se).

De acordo com a diretora, os servidores pedem ao Governo garantias de que a previdência complementar não venha a falir, contando também com aporte do Governo. “Temos um pé atrás. O medo que se tem é de falência. A Capemi, da Teleceará, faliu. Queremos garantia de que os servidores receberão pelo que pagarem”, disse Rita.

O teto atual da aposentadoria dos servidores estaduais é de R$ 3.916,20, determinado pelo INSS, valor que pode ser aumentado pela previdência privada.

Os servidores esperam ter maiores definições sobre a questão na próxima reunião da Mesa Estadual de Negociações Permanentes (Memp), prevista para o dia 26 de junho, para a qual esperam participação do Governador Cid Gomes. (Nathália Bernardo)

SERVIÇO 

Reunião da Mesa Estadual de Negociações Permanentes

Quando: 26/6

Onde: Palácio da Abolição, caso haja presença do governador, ou Seplag

O Povo