O valor da perseverança

Estou acompanhando de perto pessoas de variadas idades que estão em busca de algum objetivo profissional ou acadêmico: concluir os estudos, ingressar na universidade, obter aprovação em algum concurso público ou em um mestrado, passar na prova do colégio militar ou da OAB, entre outros.

Percebo que, à medida que o segundo semestre se avizinha, a rotina cansativa faz com que muitos percam a crença em si, desmotivem-se e acabem por abandonar suas próprias metas. Tais situações, comumente vistas como “sem saída”, são, na realidade, plenamente reversíveis, bastando, em linhas gerais, ater-se ao objetivo, insistindo, mesmo quando o esforço parecer descomunal, na rota previamente traçada, para que os projetos desejados possam se concretizar. Em outras palavras: é preciso persistir.

Atingir metas requer sacrifícios: o sucesso está diretamente ligado ao esforço e à disciplina, ao número de horas de lazer abdicadas, às noites em claro estudando, à quantidade de aulas e cursinhos frequentados, ao empenho na graduação, etc. Estas considerações, aparentemente banais, são frequentemente esquecidas nesta época do ano, devendo ser internalizadas por todos que aspiram a realizações no aspecto cognitivo.

Não é hora de ter pena de si mesmo, de se lamentar, de achar que não vai dar tempo ou que é incapaz. Ainda temos um semestre pela frente, o que dá chance à renovação dos ânimos, à recuperação do tempo perdido e à demonstração máxima da garra e da perseverança que existe dentro de nós. Se, por um lado, o cansaço é extremo, por outro, deve-se ter em mente que ele é temporário e que é condição intransponível para atingirmos os nossos objetivos.

A família geralmente percebe que alguma coisa vai mal, mas muitas vezes, receia dar palpites, pois teme que sua interferência possa soar como pressão e prejudicar ainda mais. Ao contrário do que se pensa a participação da família é fundamental tanto para incentivar comportamentos adequados, quanto para coibir e desencorajar práticas e pensamentos pessimistas ou nocivos à conquista das metas estabelecidas.

Luana Andrade

luanaaararipe@gmail.com

Psicóloga, Psicoterapeuta, Psicodramatista, Especialista em Terapia Familiar, em Psicologia Clínica e Escolar

O Povo