Servidor estadual recebe orientações

Após reivindicações de servidores do governo estadual, teve início ontem a primeira etapa do projeto de orientação financeira promovido pela Secretaria Planejamento e Gestão (Seplag). Dois seminários envolveram órgãos do Palácio da Abolição, do Conselho Estadual de Desenvolvimento Econômico (Cede) e Agência de Desenvolvimento do Estado do Ceará (Adece).


O programa foi uma das reivindicações feitas pelos funcionários durante uma assembleia realizada em abril deste ano Foto:Viviane Pinheiro

De acordo com o titular da Seplag, Eduardo Diogo, a procura dos servidores pelo seminário foi positiva. “Foi muito boa, nós tivemos quase cem pessoas. Estamos dando a opção para os servidores buscarem informações e passarem a ter uma relação mais saudável com suas finanças de diversas maneiras: cartilha (elaborada pela secretaria), seminários nos próprios órgãos e cursos na secretaria. Depois ainda vem o ensino a distância”, adianta o secretário.

Ao todo, 43 seminários vão envolver os 66 órgãos do Ceará até o fim do mês de agosto. Uma segunda etapa será realizada por meio de cursos presenciais de finanças pessoais na própria Seplag. Os cursos terão uma carga horária de 12 horas, com cinco turmas, sendo uma por mês. A primeira terá início no dia 24 de agosto e as demais seguem até o mês de dezembro, segundo o secretário.

Ensino a distância

Ainda no mês de outubro, conforme Eduardo Diogo, também terão início as aulas de ensino a distância, que devem acontecer a partir do dia 8, podendo ser acessado pela internet.

Novo modelo de pagamento

Suspenso há uma semana, segundo o secretário, o serviço com desconto na folha de pagamento deve voltar em agosto e com reformulações. Além dos cursos e seminários, outras solicitações de mudanças foram feitas pelos servidores estaduais em uma assembleia realizada no dia 24 de abril deste ano.

Entre as mudanças estão a obtenção de crédito restrita às agências bancárias credenciadas (Caixa Econômica Federal e Bradesco) e ausência de intermediários em órgãos oferecendo empréstimos aos servidores, além do programa de orientação financeira iniciado ontem.

O antigo modelo de consignados era intermediado pela Administradora Brasileira de Cartões S/A e foi alvo de denúncia do Ministério Público Estadual (MPE) por tráfico de influências de serviços do governo estadual.

Diário do Nordeste