Crise não pode servir como desculpa, diz CUT sobre reajustes

O presidente da CUT, Vagner Freitas, afirmou que a crise econômica não pode servir como desculpa para que o governo federal não conceda reajuste aos servidores que estão em greve.

“Se existe uma crise, essa crise não foi construída pelos trabalhadores. Ela não pode ser utilizada como desculpa”, afirmou Freitas.

O presidente da CUT disse que a entidade entende que o país precisa adotar medidas para sair da crise, porém defende que as ações não prejudiquem os trabalhadores. “As medidas para sair da crise não podem ser com arrocho de salário dos trabalhadores, com o não investimento na capacidade do poder de compra dos salários e com o não investimento no mercado interno. Os países que têm feito isso ao invés de você sair da crise, você tem aumentado a crise”, disse.

Wagner Freitas esteve reunido com o ministro da Secretaria Geral da Presidência, Gilberto Carvalho, e com o ministro da Educação, Aloizio Mercadante, no Palácio do Planalto. De acordo com o relato do sindicalista, a CUT voltou a pedir para o governo que apresente alguma proposta aos servidores em greve, como foi feito com os professores.

“O governo precisa fazer proposta. A greve não pode transcorrer sem o que o governo tenha uma proposta econômica”, disse.

O Estado – CE