Educação no País do futebol

No momento em que todas as atenções se voltam para a tal Copa do Mundo quando nos parece que os investimentos nas obras voltadas para o evento resolverão todos os problemas da Cidade, uma reflexão sobre a educação que temos e a educação que queremos parece-nos válida, pois vemos com tristeza que os investimentos em educação continuam minguados e deslocados do sentido real do que necessita nosso povo. Não podemos rechaçar eventos, que geram visibilidade para o País, mas não podemos gastar todos os recursos nestes eventos que com certeza provocarão endividamento do País por uma efemeridade de poucos dias. E o futuro? Como ficarão jovens e adolescentes, no futuro, que hoje não têm escola de qualidade, não têm direito a questionar métodos pedagógicos, não têm direito de entender os mecanismos de funcionamento da escola? Não somos contra o evento, mas somos contra o aproveitamento político do mesmo e o esquecimento de outros setores da sociedade. 
É público e notório que hoje os jovens têm sonhos que serão cortados em meio a uma violência generalizada que hoje os traga de forma cruel, pois certamente o mundo do tráfico e da vida fácil tem sido mais atraentes que a própria escola. Não podemos deixar nossos jovens ficarem à mercê de situações políticas equivocadas, onde não há incentivo para permanência na escola, não há justiça social que dê aos jovens em idade escolar perspectivas de uma vida de futuro melhor.
Precisamos negar o modelo de escola, hoje, em prática, e precisamos criar uma escola reflexiva, crítica e questionadora com participação de toda comunidade escolar que envolvida saberá discernir o bom do mau ensino, temos que buscar uma escola onde os investimentos sejam feitos na figura do crescimento do aluno e na sua formação. Não podemos deixar que as escolas sejam locais para garantir merenda aos alunos, essas devem garantir saber, valorização da pessoa e formação de valores.
Quando reforçamos a imagem do Brasil, como País do Futebol, esquecemos claramente que a vida é feita de outros valores como cultura, cidadania, ambiente, poesia, música e outras vertentes do ser humano. Precisamos dar à escola uma imagem mais atraente, mais forte na ação e mais agradável, pois mesmo com seus problemas sabemos que os jovens vão às escolas sequiosos de serem bem tratados, respeitados e valorizados e, muitas vezes, a ternura, o afeto e o companheirismo são construídos apenas no ambiente escolar, pois com o processo de destruição familiar, hoje em vigor, muitos jovens tem isso negado e esquecido. Precisamos criar outros rótulos para nosso País que além de País do Futebol poderia ser também País da Cidadania, País da Educação, País da Cultura Popular…. etc. Ou mudamos o modo de ser de nosso País como gerador de Justiça Social ou todo investimento da Copa será inútil e teremos no futuro grandes estádios sem usufruto algum…Vale a pena refletir sobre isso.

O Estado – CE