Estudo diz que mulheres superaram os homens no teste de QI

Pela primeira vez, as mulheres passaram à frente, com vantagem de um ponto, em média, em relação aos homens no teste que mede a inteligência.

Quem tem o QI maior: o homem ou a mulher? Uma pesquisa mundial mostra que as mulheres superaram os homens. No último século, as mulheres ficaram sempre atrás em testes que medem o QI, o coeficiente de inteligência. Mas agora, pela primeira vez, elas passaram à frente, com uma vantagem de um ponto, em média, em relação aos homens.

A conclusão é do pesquisador americano James Flynn, uma das maiores autoridades mundiais no assunto. Ele aplicou testes na Europa, Estados UnidosAustrália, Nova Zelândia e Argentina e constatou que ambos os sexos melhoraram o desempenho nos testes de QI nos últimos 100 anos, mas elas melhoraram num ritmo mais rápido.

O pesquisador diz que os resultados mais altos são consequência da vida moderna, mais complexa. Mas que ainda é preciso de mais pesquisas para afirmar por que elas estão se saindo melhor. Uma das hipóteses é que antes mais mulheres não tinham as mesmas oportunidades educacionais que os homens e, por isso, iam pior nos testes. A outra hipótese é que as mulheres foram obrigadas a desempenhar múltiplas tarefas, em casa e no trabalho, e com isso desenvolveram um raciocínio mais complexo.

A questão é polêmica. “O QI foi sendo deturpado, perdeu o sentido original e passou a ser associado com uma medida de inteligência e não é exatamente isso”, afirma a neurocientista, Suzana Herculano- Houzel.

“O corpo da mulher é menor. A cabeça da mulher é menor. O cérebro que dorme dentro dessa cabeça é menor e tem menos neurônio. Não por isso tem menos inteligência. Em uma infinidade de atividades, as mulheres são enormemente superiores ao homem e são mais econômicas, utilizam menos neurônio para fazer a mesma coisa”, diz o neurocientista, Ivan Izquierdo.

Jornal da Globo