Servidores decidem por greve

Já os professores, saberão o resultado do plebiscito sobre a deflagração da greve hoje, durante assembleia

FOTO: FÁBIO LIMA

Os servidores técnico-administrativos da Universidade Federal do Ceará (UFC) decidiram pela greve ontem à tarde. Durante a assembleia, na reitoria, 318 servidores foram favoráveis às paralisações das atividades, diante de apenas duas abstenções. A categoria reivindica reajuste no salário e no plano de cargos e carreiras. De acordo com o coordenador do Sindicato dos Trabalhadores das Universidades Federais no Estado do Ceará (SintufCe), Agenor Freitas, desde maio houve redução salarial com a retirada dos adicionais de insalubridade e periculosidade dos servidores que trabalham no hospital universitário. Uma agenda de atividades está sendo marcada para tratar o assunto com a comunidade.Enquanto isso, centenas de professores foram às urnas ontem participar do plebiscito que definirá o início ou não da greve da categoria. Cerca de 75 urnas foram espalhadas pelas unidades acadêmicas ontem, das 8 às 21 horas.

O resultado será divulgado e homologado hoje de manhã, durante a assembleia do Sindicato dos Docentes das Universidades Federais do Estado do Ceará (Adufc). Decidido os rumos do movimento, a categoria tem 72 horas para dar início à paralisação das atividades.

O presidente da Adufc, Marcelino Pequeno, ressalta que a principal luta é pela equiparação salarial dos docente e pesquisadores do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT). “Não faz sentido que os professores e pesquisadores tenham as mesmas funções e sejam remunerados diferentemente. Eles (pesquisadores) recebem 30% a mais”, destaca.

Em todo o Brasil, cerca de 50 universidades estão em greve. As paralisações começaram no dia 17 de maio.

Reunião com o MEC

Por telefone, o reitor da UFC, Jesualdo Farias, disse que vai participar de uma reunião com o Ministério da Educação (MEC) hoje à noite, em Brasília. A expectativa é que seja incluída na pauta as reivindicações dos servidores técnico-administrativos e professores. “Estamos confiantes que o governo responda positivamente para que evite uma greve prolongada e possa prejudicar os estudantes”, diz. Ele acredita que a solução deve sair ainda este mês.

Serviço

Assembleia da Adufc para divulgação do plebiscito

Quando: hoje
Hora: 10 horas

Onde: auditório do Centro de Tecnologia, no campus do Pici
Panfletagem do SintufCe

Quando: hoje
Hora: 15 horas

Onde: Avenida da Universidade
Ato do SintufCe

Quando: quarta
Hora: 9 horas

Onde: em frente ao HUWCSaiba mais

Segundo a SindufCe, são 5 mil servidores na UFC.

Já a Adufc aponta aproximadamente 2.500 associados na UFC e Unilab.

Puderam participar do plebiscito também professores aposentados, substitutos e visitantes.

Pelo calendário da UFC, o fim do semestre é no próximo dia 26 de junho.

A categoria se mostrou dividida durante a votação.

Professores entrevistados pelo O POVO questionaram o atraso na decisão pela greve.

Uns tinham receio de que a pauta de reivindicações não fosse atendida pela indefinição do orçamento do governo. A preferência era que a greve fosse deflagrada a partir de agosto.

Outros se mostravam a favor, mas apontavam a importância dos alunos não serem prejudicados com a perda do semestre.

Viviane Gonçalves

O Povo